1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Caricatura mostra vencedores do Nobel de Química 2021: Benjamin List (e.) e David MacMillan (d.)
Benjamin List (e.) e David MacMillan (d.) desenvolveram organocatálise assimétricaFoto: Niklas Elmehed/Nobel Prize Outreach
CiênciaGlobal

Alemão e escocês ganham Nobel de Química

6 de outubro de 2021

Comitê em Estocolmo premia método para criar moléculas orgânicas. Usos incluem pesquisa de novos produtos farmacêuticos, além de tornar produção de químicos 'mais verde'.

https://www.dw.com/pt-br/pr%C3%AAmio-nobel-de-qu%C3%ADmica-vai-para-alem%C3%A3o-e-escoc%C3%AAs-por-organocat%C3%A1lise/a-59421531?maca=bra-rss-br-all-1030-rdf

O Comitê do Prêmio Nobel anunciou nesta quarta-feira (06/10) que os vencedores da categoria Química são o alemão Benjamin List e David MacMillan, nascido na Escócia, pelo trabalho no método para a criação de moléculas orgânicas chamado organocatálise. 

Segundo o Comitê do Nobel no Twitter, os usos dessa ferramenta incluem a pesquisa de novos produtos farmacêuticos, além de ajudar a tornar a produção de químicos "mais verde". 

Os métodos desenvolvidos pelos dois cientistas em 2000 ajudam a acelerar reações químicas para a construção de moléculas. A organocatálise teria se desenvolvido de forma muito rápida, disseram membros do Comitê do Nobel em coletiva de imprensa após o anúncio. Com as reações aceleradas, pesquisadores podem criar uma variedade de produtos de forma mais eficiente – de remédios a moléculas que conseguem capturar luz em painéis solares. 

List trabalha atualmente no Instituto Max Planck e MacMillan, na Universidade de Princeton. Os dois nasceram em 1968.

Desde sua criação, em 1901, o Prêmio Nobel de Química foi entregue a 185 pesquisadores diferentes. O britânico Frederick Sanger recebeu a honraria duas vezes. Sete mulheres, entre elas Marie Curie, em 1911, também foram agraciadas. Curie descobriu os elementos radioativos polônio e rádio. 

Em 2020, o Nobel de Química foi entregue à francesa Emmanuelle Charpentier e à americana Jennifer A. Doudna pelo desenvolvimento de uma ferramenta de edição genética que pode alterar o DNA, método considerado revolucionário na ciência. 

Nos próximos dias, o Comitê do Nobel ainda vai anunciar os laureados nas categorias Literatura, Economia e Paz. A entrega do prêmio ocorre no dia 10 de dezembro em Estocolmo.

rk (DPA, AP, ots)