Por que há contagens diferentes dos votos nos EUA? | Notícias internacionais e análises | DW | 06.11.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Eleições nos EUA

Por que há contagens diferentes dos votos nos EUA?

De um site para o outro, o número de delegados atribuídos aos candidatos Biden e Trump varia. Entenda por que isso acontece.

Pessoa de máscara diante de tela com mapa mostrando contagem de votos na eleição presidencial dos EUA

Eleição do presidente depende do número de delegados no Colégio Eleitoral

O processo de escolha de um presidente nos Estados Unidos já é confuso, e para confundir ainda mais, sites de notícias estão apresentando resultados diferentes para o número de delegados do Colégio Eleitoral conquistados por cada candidato.

Alguns, como a DW, afirmam que o democrata Joe Biden já tem 264 delegados dos 270 necessários:

Outros dizem que ele está em 253. Isso acontece porque os primeiros incluem os 11 delegados do Arizona, ao passo que os outros afirmam que nesse estado o resultado ainda está em aberto.

Nos Estados Unidos, não há um sistema eleitoral central de contagem e divulgação, a exemplo do TSE no Brasil. Assim, algumas empresas de comunicação criam suas próprias centrais, que anunciam, para fins de cobertura jornalística, quem venceu num estado.

A DW e várias outras empresas, como o jornal britânico The Guardian e a emissora alemã ARD, usam as informações da agência de notícias Associated Press (AP). Mas há outras centrais de contagem, como as das emissoras NBC e Fox News.

No caso desta eleição, a Fox News atribuiu o Arizona para Biden no fim da noite de quarta-feira (horário da costa leste dos EUA). Já na madrugada de quinta-feira, a AP fez o mesmo. A CNN e o New York Times, por exemplo, ainda não se decidiram.

Assim, sites de todo o mundo que se orientam pela AP, como a DW, já dão 264 delegados para o democrata. Outros ainda estão totalizando 253. A agência de notícias Reuters ainda não atribuiu Arizona e Wisconsin a Biden e conta, assim, 243 delegados para o republicano.

A AP justificou sua decisão afirmando que os votos que ainda restam a serem contados no Arizona não mudarão mais o resultado nesse estado.

A Fox News argumentou de maneira semelhante. O chefe da sua central de contagem, Arnon Mishkin, afirmou que não se poderia esperar uma maioria para Trump dos 870 mil votos que restavam contar então.

Pequenas divergências entre as diferentes contagens são comuns, mas este ano a pandemia do novo coronavírus e o grande número de votos antecipados complicaram os prognósticos.

Colégio eleitoral nos EUA

AS/dw/ots

Leia mais