Policiais são condenados por assassinato na política antidrogas de Duterte | Notícias internacionais e análises | DW | 29.11.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Policiais são condenados por assassinato na política antidrogas de Duterte

A Justiça condenou três policiais pelo assassinato de um estudante nas Filipinas. É a primeira condenação de policiais por cometerem crimes em operações no âmbito da política antidrogas do governo de Rodrigo Duterte.

Assistir ao vídeo 02:02

Quando assumiu o governo, em 2016, Duterte prometeu acabar com o tráfico. Os três policiais foram condenados pelo assassinato de Kian delos Santos, de 17 anos. Ele era filho de um vendedor ambulante e de uma empregada doméstica imigrante. O crime ocorreu em 2017, em Manila, e motivou protestos contra a política antidrogas. Os policiais disseram que a vítima atirou e acabou sendo baleada. Investigações provaram, no entanto, que o estudante foi executado. Cada policial foi condenado a 40 anos de prisão, sem direito à condicional. Quase 5 mil pessoas morreram nos 29 meses de política antidrogas de Duterte.