Polícia alemã usa jatos de água para dispersar ambientalistas | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 05.12.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Alemanha

Polícia alemã usa jatos de água para dispersar ambientalistas

Ação ocorreu em protesto contra desmatamento de floresta em Hessen para a construção de uma estrada. Manifestantes criticam uso de jatos de água em temperaturas congelantes.

Camburão da polícia dispara jato de água

Polícia usou jatos de água mesmo com temperaturas congelantes

A polícia alemã usou jatos de água neste sábado (05/12) para dispersar cerca de 250 manifestantes que protestavam contra a derrubada de uma floresta para a ampliação de uma autobahn no oeste da Alemanha. Os ambientalista se recusavam a deixar o local.

Os manifestantes construíram barricadas na floresta de Dannenröder, acenderam sinalizadores e bloquearam uma estrada que dava acesso a um galpão de logística. A polícia então avançou com jatos de água contra o grupo. Não há relatos de feridos. Os ativistas responderam com bolas de neve.

Pelo Twitter, os ativistas afirmaram que o uso de jatos de água em temperaturas congelantes era "irresponsabilidade". Segundo a polícia do estado de Hessen, vários avisos teriam sido dados antes dos disparos.

Há mais de um ano, milhares de ativistas têm protestado contra os planos de expansão da rodovia a noroeste de Frankfurt. Alguns ambientalistas construíram casas em árvores para ocupar a floresta e evitar seu desmatamento.

Confrontos na remoção

Autoridades começaram a remoção dos manifestantes do mês passado para dar início a derrubada de cerca de 85 hectares de floresta. A controversa expansão da autobahn visa uma ligação direta entre as cidades de Kassel e Giessen.

Manifestante corre em meio à neve e chuva de jato de água

Grupo protesta contra derrubada da floresta há mais de um ano

Desde o início da remoção, houve vários confrontos entre manifestantes e a polícia, com atos violência que resultaram em feridos de ambos os lados.

As autoridades reclamam ainda que os manifestantes detidos fizeram de tudo para esconder suas identidades, inclusive colando as pontas dos dedos para evitar o recolhimento das digitais.

Os planos para a ampliação de várias estradas na região têm causado atrito entre moradores e ambientalistas há décadas. Uma proposta de construção de uma autobahn passando por outra floresta próxima foi rejeitada devido ao impacto ambiental do projeto.

CN/dpa/dw

Leia mais