Polícia alemã lança megaoperação contra rede de prostituição | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 18.04.2018

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Alemanha

Polícia alemã lança megaoperação contra rede de prostituição

Maior ação contra o crime organizado já realizada na Alemanha mira suspeitos de traficar mulheres e transsexuais da Tailândia, forçando-os a pagar com serviços sexuais por vistos falsos. Mais de cem pessoas são detidas.

Operação policial contra o tráfico de pessoas ocorreu em 12 dos 16 estados federativos alemães

Operação policial contra o tráfico de pessoas ocorreu em 12 dos 16 estados federativos alemães

Forças de segurança alemãs realizaram na madrugada desta quarta-feira (18/04) a maior operação da história da corporação, tendo como foco crime organizado, mais especificamente tráfico de pessoas e prostituição forçada.

A operação visava principalmente as redes de traficantes e os criminosos envolvidos no tráfico, prostituição forçada e exploração de mulheres e transsexuais da Tailândia, trazidos ilegalmente para o país.

Leia também: O lado ruim da lei alemã de proteção a profissionais do sexo

Os alvos principais da polícia eram 17 suspeitos de liderarem o esquema. As ações foram realizadas em 12 dos 16 estados federativos alemães, sendo que 17 ocorreram na Renânia do Norte-Vestfália; dez, em Hesse; nove, na Baixa Saxônia; e outras nove, em Baden-Württemberg.

As batidas em 62 locais de prostituição, residências e escritórios envolveram cerca de 1,5 mil policiais, incluindo a unidade contraterrorista GSG9.

Mais de cem suspeitos foram detidos provisoriamente, e sete mandados de prisão foram executados. Entre os principais suspeitos detidos na operação estavam uma tailandesa de 59 anos e seu companheiro, um alemão de 62.

O casal, preso com diversas outras pessoas na cidade de Siegen, no oeste do país, é suspeito de integrar uma rede de tráfico de mulheres e transsexuais da Tailândia, que entraram no país com vistos falsos.

Em nota, a polícia informou que os criminosos cobravam entre 16 mil e 30 mil euros pelos vistos de entrada no país e forçavam as pessoas a pagarem suas dívidas através de serviços sexuais. Centenas de pessoas nessas condições eram movidas de um local para outro para evitar suspeitas.

O ministro alemão do Interior, Horst Seehofer, disse se tratar de uma operação sem precedentes. "Várias centenas de homens e mulheres estavam durante anos à mercê da ganância desumana e sem limites dos traficantes", afirmou.

RC/dpa/afp

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais