Plácido Domingo deixa Ópera de Los Angeles | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 02.10.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Cultura

Plácido Domingo deixa Ópera de Los Angeles

Após ser acusado de abuso sexual, tenor espanhol renuncia ao cargo de diretor-geral da instituição, alegando que denúncias comprometeram seu trabalho na companhia.

Plácido Domingo

Atuando profissionalmente há mais de 60 anos, Domingo, de 78 anos, é um dos tenores mais famosos do mundo

Enfrentando várias acusações de abuso sexual, o tenor espanhol Plácido Domingo anunciou nesta quarta-feira (02/10) que deixará o cargo de diretor-geral da Ópera de Los Angeles, ocupado por ele desde 2003.

"As recentes acusações que foram feitas contra mim na imprensa criaram uma atmosfera na qual minha habilidade para servir esta companhia que tanto amo foi comprometida", afirmou Domingo, de 78 anos, num comunicado.

"Enquanto continuo o trabalho para limpar meu nome, decidi que é do melhor interesse da Ópera que eu renuncie como diretor-geral e que deixe de realizar minhas apresentações futuras", acrescentou.

Após a divulgação da notícia da saída de Plácido Domingo, a Ópera de Los Angeles publicou comunicado agradecendo ao tenor pela "contribuição sem precedentes" para a vida cultural da cidade californiana. "Sob sua liderança, a Ópera de Los Angeles foi conhecida pelo espírito de criatividade colaborativa e pela habilidade para atrair magníficos artistas de todo o mundo", destaca o texto.

Sua renúncia ocorreu uma semana após Domingo anunciar que desistiu de participar da obra "Macbeth", que seria apresentada na Met Opera de Nova York e que não se apresentaria mais no local.

Ícone da ópera e estrela mundial da música clássica, o tenor espanhol foi acusado em agosto por mais de 20 mulheres de cometer assédio e abuso sexual. Os casos foram revelados pela agência de notícias americana Associated Press.

As vítimas seriam cantoras e dançarinas, colegas de trabalho de Domingo, que o acusam de abusar da sua posição de poder. Os incidentes ocorreram desde a década de 1980. Algumas mulheres relatam que o tenor teria as apalpado por baixo de suas saias ou as beijado a força.

Na época que surgiram as primeiras acusações, a Ópera de Los Angeles anunciou a abertura de uma investigação para determinar a veracidade das acusações. Domingo nega as acusações e disse que sempre acreditou que todas as suas "interações e relações" com mulheres eram "bem-vindas e consensuais".

CN/efe/ap/afp

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | App | Instagram | Newsletter

Leia mais