Partido do Kremlin anuncia apoio à candidatura de Putin | Notícias internacionais e análises | DW | 23.12.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Partido do Kremlin anuncia apoio à candidatura de Putin

Legenda governista Rússia Unida diz que irá oferecer todos os recursos disponíveis para que presidente russo seja reeleito em 2018. Vitória de Putin para um quarto mandato até 2024 é dada como certa.

default

Putin anunciou que vai se candidatar à reeleição na semana passada

O partido governista Rússia Unida oficializou neste sábado (23/12) apoio à candidatura do presidente russo, Vladimir Putin, às eleições presidenciais marcadas para 18 de março de 2018.

Leia mais: Opinião: Reeleição de Putin em 2018 é certa

"Este ano, o partido completou 16 anos. Em todo este tempo, teve um só líder indiscutível, um líder que unifica a Rússia, alguém que conta com a confiança e com o apoio da maioria absoluta dos cidadãos: Vladimir Vladimirovitch Putin", declarou o primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev, no congresso da legenda.

Assistir ao vídeo 00:57

O calendário de Putin

Na semana passada, Putin anunciou que vai tentar se reeleger como candidato independente e, agora, conta com o apoio do partido governista.

Segundo o primeiro-ministro, o partido Rússia Unida, que conta com mais de dois milhões de membros, irá destinar todos os recursos disponíveis "para que o dia 18 de março seja o dia da vitória incondicional" de Putin.

Presente do congresso, o presidente russo agradeceu o apoio do partido. "O que foi alcançado é o fundamento, mas não a garantia de um desenvolvimento futuro bem-sucedido", alertou.

Analistas políticos preveem que Putin será reeleito com um resultado histórico de mais de dois terços dos votos, permanecendo no Kremlin até 2024.

Possível quarto mandato

Essa será a quarta vez que Putin concorrerá a pleitos presidenciais na Rússia. O presidente cumpriu dois mandatos consecutivos a frente do Kremlin entre 2000 e 2008.

Impedido constitucionalmente de se recandidatar, Putin exerceu as funções de primeiro-ministro. Nesse período, seu aliado Dmitri Medvedev, no cargo de presidente, ampliou o mandato presidencial de quatro para seis anos.

Em 2012, Putin voltou a se candidatar e foi eleito presidente. Com uma taxa de popularidade de 80%, o presidente, no poder há 17 anos, tem a vitória praticamente assegurada.

Os candidatos opositores dos últimos anos – o líder comunista Guenadi Ziuganov, o ultranacionalista Vladimir Jirinovski e o liberal Grigori Iavlinski – já anunciaram a intenção de se recandidatarem.

KG/efe/rtr

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados