Partido de Merkel assegura coalizões em governos estaduais | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 14.06.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Alemanha

Partido de Merkel assegura coalizões em governos estaduais

Democrata-cristãos fecham acordos em Renânia do Norte-Vestfália e Schleswig-Holstein. Em ambos os estados, legenda da chanceler federal destitui os social-democratas – principais adversários nas eleições gerais.

Presidente regional da CDU, Armin Laschet (esq.), e líder do FDP, Christian Lindner, acertam coalizão na Renânia do Norte-Vestfália

Presidente regional da CDU, Armin Laschet (esq.), e líder do FDP, Christian Lindner, na Renânia do Norte-Vestfália

A União Democrata Cristã (CDU), partido da chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, selou acordos para formar governos de coalizão em dois importantes estados do país. A decisão pode ser uma prévia das eleições gerais setembro, nas quais Merkel busca seu quarto mandado como chefe de governo.

Quatro semanas depois de conquistar uma maioria inesperada no estado da Renânia do Norte-Vestfália, a CDU e o Partido Liberal Democrático (FDP) acertaram os termos de uma coalizão para governar o estado, o mais populoso da Alemanha.

Leia a cobertura completa sobre a eleição na Alemanha em 2017

"O acordo de coalizão está de pé", disse o presidente regional dos democrata-cristãos, Armin Laschet, nesta quarta-feira (14/06), após a sétima rodada de negociações em apenas três semanas. A aliança deve ser apresentada oficialmente na sexta-feira.

O ponto principal acertado foi uma abordagem de "tolerância zero" em questões de segurança. Os planos incluem uma expansão da vigilância por imagens de vídeo e da força policial. "Ainda temos certo trabalho a fazer, mas as principais questões foram resolvidas", afirmou o líder do FDP, Christian Lindner.   

Somadas, as duas legendas têm 100 dos 199 assentos disponíveis no Parlamento estadual da Renânia do Norte-Vestfália. O democrata-cristão Laschet busca a nomeação como governador e, assim, suceder a social-democrata Hannelore Kraft. 

Heiner Garg (FDP), Daniel Günther (CDU), e Monika Heinold (Partido Verde)

Heiner Garg (FDP), Daniel Günther (CDU), e Monika Heinold (Partido Verde): tríade em Schleswig-Holstein

Tríade em Schleswig-Holstein

No estado mais ao norte da Alemanha, Schleswig-Holstein, a CDU e o FDP se aliaram ao Partido Verde no governo estadual. "Tivemos conversações difíceis", relatou o líder regional da CDU, Daniel Günther, embora as negociações tenham sido realizadas "numa atmosfera muito boa e harmoniosa".

A responsável pela negociação para o Partido Verde, Monika Heinold, disse que o acordo possui o que ela classificou de "caligrafia verde". Líder regional do FDP, Heiner Gag, entretanto, afirmou que os partidos conseguiram delinear uma "visão futura para Schleswig-Holstein".

Essa constelação de coalizão governamental foi tentada apenas uma vez em nível estadual, mas nunca na formação de um governo federal. Assim como na Renânia do Norte-Vestfália, os democrata-cristãos puseram fim a um governo antes liderado pelos social-democratas e que incluía o Partido Verde.

Em busca de seu quarto mandato de chanceler federal, Merkel sempre governou a Alemanha com coalizões. De 2005 a 2009, os democrata-cristãos dividiram a administração do país com o SPD. Entre 2009 e 2013, a CDU governou ao lado do FDP. E desde 2013, o partido de Merkel retomou a aliança federal com os social-democratas.

Atuais pesquisas de intenção de voto projetam uma vantagem de dois dígitos para a CDU nas eleições legislativas de setembro. Em segundo lugar, aparece o SPD, de Martin Schulz.  

PV/rtr/ap

Leia mais