Partida das eliminatórias da Copa 2010 foi manipulada, diz testemunha | Siga a cobertura dos principais eventos esportivos mundiais | DW | 06.01.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Partida das eliminatórias da Copa 2010 foi manipulada, diz testemunha

O jogo entre Lichtenstein e Finlândia, em setembro de 2009, terminou exatamente como combinado com o juiz: 1 a 1, com dois gols no segundo tempo. Afirmação é de uma testemunha que diz ter "comprado" o árbitro.

default

Ante Sapina, testemunha e suspeito de corrupção

O resultado de uma partida entre as seleções de Lichtenstein e da Finlândia, durante a fase classificatória da Copa do Mundo da África do Sul, foi manipulado, assegurou uma testemunha diante da Justiça alemã. O placar de 1 a 1 do jogo realizado em setembro de 2009, em Vaduz, teria sido combinado previamente com o juiz que apitou a partida, Novo Panic, da Bósnia-Herzegovina.

As afirmações foram feitas nesta quarta-feira (05/01) pelo croata Ante Sapina, que já havia sido condenado em 2005 por envolvimento num escândalo de manipulação de jogos na Alemanha. Durante seu depoimento num tribunal de Bochum, oeste alemão, Sapina contou que, no final de 2006, voltou a apostar grandes quantias em partidas de futebol e chegou até a subornar jogadores.

Sapina é testemunha no processo. Ele está em prisão preventiva desde novembro de 2009. Em 2005, foi condenado a dois anos e 11 meses de prisão por participação no escândalo de manipulação de jogos envolvendo o juiz alemão Robert Hoyzer, mas ficou apenas alguns meses na prisão.

Pênalti forjado

Sapina repetiu a acusação feita no mês passado durante o julgamento de um dos quatro acusados de envolvimento no escândalo. Ele teria encontrado o juiz de futebol Novo Panic no estacionamento de um hotel em Sarajevo para suborná-lo.

"Eu perguntei claramente a ele se ele poderia conseguir que os dois gols acontecessem no segundo tempo", disse Sapina. O plano foi levado a cabo pelo juiz, que teria recebido 40 mil euros depois da partida.

Durante o depoimento, Sapina lembrou o pênalti marcado a favor da Finlândia, que "claramente" teria sido forjado. Lichtenstein chegou ao empate sem a ajuda do juiz, mas, segundo a testemunha, "era visível que o juiz estava contribuindo para que ganhasse a nossa aposta."

A Alemanha ficou em primeiro lugar no Grupo 4 e nenhuma das seleções que participaram do jogo suspeito se classificaram para a Copa da África – a Finlândia foi a terceira da chave e Lichtenstein a última.

Já o juiz Novo Panic foi banido em definitivo da Uefa, mas por ter sido acusado de tentar manipular uma partida entre Suíça e Geórgia, pelo Campeonato Europeu Sub-21.

Outros jogos manipulados

Ainda segundo Sapina, outro juiz teria recebido 30 mil euros para manipular o resultado do jogo entre Basel e CSKA Sofia, em 2009, pela Liga Europa. O encontro teria acontecido num restaurante em Kiev.

Quatro suspeitos estão em julgamento acusados de terem manipulado 32 jogos de futebol em diversos países europeus. Estima-se que 300 partidas em 15 nações tenham sofrido interferência externa.

NP/dpa/ap
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais