″Parlamento de chimpanzés″ de Banksy é vendido por 9,8 milhões de libras | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 04.10.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Cultura

"Parlamento de chimpanzés" de Banksy é vendido por 9,8 milhões de libras

Quadro do artista britânico retratando primatas no Parlamento do Reino Unido atinge valor recorde em leilão em Londres. Em rede social, Banksy compartilha citação que critica comercialização de obras de arte.

BG Banksy | Devolved Parliament (picture-alliance/ZUMAPRESS/Ray Tang)

'Devolved Parliament' atinge soma recorde para um Banksy em leilão

Um quadro de Banksy atingiu o maior valor já obtido por um trabalho do artista britânico, em um leilão na Sotheby's, em Londres, nesta quinta-feira (03/10): 9.879.500 libras (equivalente a cerca de 49,3 milhões de reais).

A casa de leilões havia estimado que a pintura Devolved Parliament (Parlamento transferido) seria arrematada por um valor entre 1,5 milhão e 2 milhões de libras, mas uma batalha de lances de 13 minutos fez disparar o preço da obra.

"Preço recorde para uma pintura de Banksy em leilão nesta noite. Pena que eu não a possuía", escreveu Banksy em uma postagem no Instagram, ao lado de uma citação do crítico de arte Robert Hughes.

A mensagem citada criticava o alto valor cobrado por obras de arte. "Em vez de ser propriedade comum da humanidade, como um livro é, a arte se torna propriedade particular de alguém que pode pagar por ela", dizia a citação de Hughes.

O recorde anterior de uma peça de Banksy vendida em leilão foi de 1,87 milhão de dólares (cerca de 7,6 milhões de reais), alcançado por Keep it Spotless (Mantenha impecável) na Sotheby's de New York, em 2008.

Devolved Parliament mostra chimpanzés sentados nas cadeiras da Câmara dos Comuns, câmara baixa do Parlamento britânico. A pintura mede 4,46 metros por 2,67 metros – a maior tela conhecida do artista anônimo de Bristol, informou a casa de leilões.

Banksy pintou a obra para um festival do Museu de Bristol em 2009, que atraiu mais de 300 mil visitantes e foi considerado uma das exposições mais visitadas do mundo naquele ano.

O proprietário anônimo da pintura a emprestou ao museu no início do ano para marcar o 10º aniversário da exposição, bem como a saída do Reino Unido da União Europeia (UE), prevista originalmente para 29 de março.

"Eu fiz isso há dez anos. O Museu de Bristol acabou de exibi-la para marcar o dia do Brexit", disse o artista na época. "Riam agora, mas um dia ninguém estará no comando."

"O que ele está apontando aqui é a regressão da mais antiga democracia parlamentar do mundo a um comportamento animalesco tribalista, do tipo que vimos em transmissões nas nossas televisões", disse Alex Branczik, diretor do departamento de arte contemporânea da Sotheby's.

"A verdadeira genialidade de Banksy é sua capacidade de reduzir esse debate incrivelmente complexo a uma simples imagem, que tanto é muito facilmente compartilhada nesta era de mídias sociais e de uma população que consome muitas imagens."

A venda ocorre após a polêmica suspensão de cinco semanas do Parlamento britânico, proposta pelo primeiro-ministro Boris Johnson, ter sido considerada ilegal pela Suprema Corte do país, com o tempo se esgotando antes de o Reino Unido deixar a UE, previsto agora para 31 de outubro. "Nunca houve uma hora melhor para levar essa pintura a leilão", disse Branczik.

CA/afp/rtr/ap/dw

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube
App | Instagram | Newsletter

Leia mais