1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Papai Noel beijando um homem na boca
Cena final do comercial de Natal norueguêsFoto: youtube.com/Posten
VariedadesNoruega

Papai Noel é gay em comercial natalino da Noruega

27 de novembro de 2021

Bom velhinho vive história de amor com um homem em propaganda celebrando os 50 anos da lei que descriminalizou a homossexualidade no país. Funcionário do governo brasileiro ameaça mídias que divulgarem o filme.

https://www.dw.com/pt-br/papai-noel-%C3%A9-gay-em-comercial-natalino-da-noruega/a-59958029?maca=bra-rss-br-all-1030-rdf

O serviço postal estatal norueguês Posten Norge fez um anúncio natalino comemorando os 50 anos de vigência da lei que descriminalizou o relacionamento de pessoas do mesmo sexo na Noruega. No filme, de quase quatro minutos, Papai Noel se apaixona por um homem chamado Harry.

O nome da campanha, When Harry met Santa (Quando Harry conheceu o Papai Noel), é uma citação à comédia romântica de 1989 When Harry met Sally (distribuída no Brasil como Harry e Sally - Feitos um para o outro), estrelada por Billy Crystal e Meg Ryan.

Após se encontrarem em toda a véspera de Natal ao longo de vários anos, os dois vão lentamente se envolvendo. Mas a agenda lotada do Papai Noel só permite encontros fugazes – até ele contratar a norueguesa Posten Norge para ajudar com as entregas natalinas, permitindo que os dois, finalmente, consigam passar mais tempo juntos, se beijando na boca durante a cena final.

"Ambiente socialmente relevante"

"Este ano é tudo sobre amor – destacando o fato de que 2022 marca o 50º aniversário da lei que descriminalizou a homossexualidade na Noruega", afirmou a Posten Norge através de comunicado.

"Além de mostrar a flexibilidade dos nossos serviços, queremos colocá-los em um ambiente socialmente relevante", acrescentou a empresa.

Não é a primeira vez que o serviço norueguês de correios trata de assuntos tidos como polêmicos em seus comerciais natalinos. Em 2019, uma propaganda mostrava São José, pai de Jesus Cristo, como um carteiro em Belém.

No ano passado, a campanha ironizava o então presidente americano Donald Trump, com um Papai Noel negacionista da crise climática, que achava as temperaturas em alta no Polo Norte algo "totalmente natural".

Com um total de cerca de 14 mil funcionários, a estatal Posten Norge, também afirma prezar a diversidade entre seus funcionários em termos de idade, sexo, religião, orientação sexual e etnia. "Todos devem se sentir bem-vindos, vistos, ouvidos e incluídos. O anúncio de Natal deste ano abraça isso", ressalta a companhia, acrescentando que as reações ao anúncio foram "extremamente positivas".

Entre os que elogiaram publicamente a iniciativa estão o ex embaixador dos EUA na Dinamarca Rufus Gifford, que também é gay. "Eu amo a Escandinávia. Imagine se os serviços de correios dos EUA fizessem um anúncio como este", afirmou no Twitter.

"Desrespeito à fé"

Mas nem todos gostaram da ideia. O secretário nacional de Incentivo e Fomento à Cultura, André Porciúncula, publicou na manhã desta sexta-feira no Twitter uma ameaça às mídias que divulgarem o comercial norueguês.

Braço direito do secretário especial de Cultura, Mario Frias, Porciúncula afirmou na postagem que irá fazer uma notícia-crime contra os veículos que divulgarem o filme, alegando que isso configuraria um desrespeito à fé cristã.

Segundo o secretário, Papai Noel e São Nicolau seriam a mesma pessoa. "O santo é parte integrante da fé cristã", afirmou. "Desrespeitar a fé alheia ainda é crime",  completou Porciúncula.

md (Reuters, DW, ots)