Palestinos retomam coordenação com Israel | Notícias internacionais e análises | DW | 17.11.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Oriente Médio

Palestinos retomam coordenação com Israel

Autoridade Palestina havia cessado cooperação em assuntos de segurança em maio, em protesto contra plano israelense de anexação de fatia da Cisjordânia.

O líder da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas,

O líder da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, havia cessado cooperação em maio

A Autoridade Palestina, presidida por Mahmoud Abbas, vai retomar a coordenação de segurança com Israel, suspensa desde maio, informou um ministro palestino nesta terça-feira (17/11).

"Em virtude dos contatos internacionais de Mahmoud Abbas [...] e considerando os compromissos escritos e orais dos israelenses, vamos retomar as relações como elas estavam em 19 de maio de 2020", declarou o ministro palestino de Assuntos Civis, Hussein al-Sheikh, em referência à data de suspensão desses acordos.

Abbas justificou o fim da coordenação de segurança em maio, em protesto contra um projeto israelense – atualmente suspenso – para anexar áreas da Cisjordânia, território palestino ocupado pelo exército israelense desde 1976.

O líder palestino disse então que seu governo não se sentia mais obrigado a cumprir "todos os seus acordos e entendimentos com os governos dos Estados Unidos e de Israel, e todas as suas obrigações com base nessas ententes e nesses acordos, incluindo aqueles relativos à segurança".

A decisão teve um impacto importante, por exemplo, sobre a organização de transferência de pacientes palestinos para hospitais israelenses.

Ao interromper sua coordenação com Israel, a Autoridade Palestina também parou de receber transferências de taxas, especialmente alfandegárias, cobradas por Israel e que são posteriormente repassadas.

Privada de sua renda, a Autoridade Palestina teve que cortar o salário de seus servidores públicos, justamente num momento em que a economia palestina está paralisada devido à pandemia de covid-19. As receitas fiscais são estimadas em 200 milhões de dólares por mês. Esses impostos representam 63% da receita pública da Autoridade Palestina.

O ministro Al-Sheikh não especificou se a retomada das relações com Israel ao ponto em que estavam antes de 19 de maio também significaria o retorno das transferências de taxas à Autoridade Palestina.

O anúncio ocorre às vésperas da chegada a Israel do chefe da diplomacia dos Estados Unidos, Mike Pompeo.

Desenvolvida no âmbito dos Acordos de Oslo, de 1995, a cooperação em assuntos de segurança tornou-se um dos pilares da estabilidade na região, passando a incluir o intercâmbio de informação sobre potenciais ataques contra israelenses, atividades do movimento radical islâmico Hamas contra a Autoridade Palestina ou a coordenação para que autoridades palestinas possam circular com maior facilidade entre diferentes zonas do território.

JPS/lusa/afp

Leia mais