Pacto da ONU facilita mediação de disputas comerciais | Notícias internacionais e análises | DW | 07.08.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Economia

Pacto da ONU facilita mediação de disputas comerciais

Convenção das Nações Unidas é assinada por 46 países em Cingapura, incluindo EUA e China. Antes difíceis de serem implementadas legalmente, soluções mediadas agilizam e barateiam litígios de comércio internacionais.

Pilha de contêineres

Pilha de contêineres no porto de Hamburgo

Em plena disputa comercial entre os EUA e a China, 46 países-membros da Organização das Nações Unidas (ONU) assinaram nesta quarta-feira (07/08), em Cingapura, um acordo da ONU para resolver conflitos comerciais.

Além de China e EUA, entre os signatários da Convenção de Cingapura estão países como Coreia do Sul e Índia. A União Europeia (UE) ainda tem que se decidir se vai aderir ao acordo como um todo ou se os países-membros do bloco devem assinar individualmente o documento.

O objetivo da convenção da ONU é facilitar que disputas comerciais internacionais sejam resolvidas através de mediação, solução normalmente mais rápida e barata do que onerosos processos legais ou arbitragens. Até agora, essa saída era legalmente difícil de ser implementada.

"O multilateralismo está sob pressão. Mas a solução é torná-lo melhor, e não abandoná-lo", afirmou o primeiro-ministro de Cingapura, Lee Hsien Loong.

A mediação já é usada para resolver disputas comerciais em jurisdições como os Estados Unidos e o Reino Unido, mas não é globalmente aceita.

O secretário-geral assistente para Assuntos Legais da ONU, Stephen Mathias, exaltou o acordo como "convenção histórica" para a pacífica resolução de disputas. "A incerteza em torno da implementação de acordos eram o principal obstáculo ao maior uso da mediação", acrescentou.

MD/dpa/rtr

_______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube
WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais