Oposição venezuelana recebe prêmio de direitos humanos da União Europeia | Notícias sobre a América Latina e as relações bilaterais | DW | 26.10.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

América Latina

Oposição venezuelana recebe prêmio de direitos humanos da União Europeia

Prêmio Sakharov homenageia "oposição democrática" e "presos políticos" venezuelanos. Parlamento Europeu destaca coragem de estudantes e políticos que lutam pela liberdade em meio a um governo repressivo.

Julio Borges, presidente da Assembleia Nacional venezuelana

Julio Borges, presidente da Assembleia Nacional venezuelana, foi um dos homenageados pelo prêmio Sakharov

A oposição venezuelana foi agraciada nesta quinta-feira (26/10) com o prêmio Sakharov para a Liberdade de Pensamento, concedido pelo Parlamento Europeu.

A principal premiação de direitos humanos da União Europeia (UE) foi dedicada à "oposição democrática" ao governo do presidente Nicolás Maduro, e a "presos políticos" no país sul-americano, anunciou o Parlamento Europeu. O órgão destacou a coragem de estudantes e políticos que lutam pela liberdade em meio a um governo repressivo.

Leia também: Oposição venezuelana racha após derrota eleitoral

Leia também: Prêmio Sakharov é "alegria amarga", diz ativista venezuelana

Assistir ao vídeo 02:38

"Venezuela está vivendo uma ditadura", diz ex-procuradora-geral

Entre os homenageados pela premiação estão a Assembleia Nacional venezuelana, dominada pela oposiçaõ, e seu presidente, Julio Borges, além dos opositores Leopoldo López, Antonio Ledezma, Daniel Ceballos, Yon Goicoechea, Lorent Saleh, Alfredo Ramos e Andrea González, representando todos os prisioneiros políticos do país.

Em comunicado divulgado em seu site, o Parlamento Europeu destaca que a Venezuela vem enfrentando uma crise política nos últimos anos. "O partido governista limitou constantemente o Estado de direito e a ordem constitucional e, em março de 2017, a Suprema Corte destituiu a democraticamente eleita Assembleia Nacional de seu poder legislativo", diz o texto.

"Ao mesmo tempo, o número de presos políticos somou mais de 600, de acordo com o mais recente relatório do Foro Penal Venezuelano", acrescenta o comunicado.

"O respeito aos direitos humanos é um dos valores fundamentais da União Europeia. Qualquer violação a esses direitos afeta os princípios democráticos sobre as quais nossa sociedade está baseada, ocorram eles dentro ou fora da UE", ressalta o Parlamento Europeu.

O parlamentar Guy Verhofstadt, da Alde, afirmou que o prêmio "apoia a luta das forças democráticas por uma Venezuela democrática" e pediu que a comunidade internacional se una na "luta pela liberdade do povo venezuelano".

A proposta de entrega do prêmio à oposição venezuelana foi feita pelos grupos parlamentares do Partido Popular Europeu (PPE), que detém o maior número de assentos no Parlamento Europeu, e da Aliança dos Liberais e Democratas pela Europa (Alde). 

No ano passado, o prêmio Sakaharov foi dedicado às ativistas yazidis Nadia Murad e Lamiya Aji Bashar. Neste ano, estavam entre os finalistas uma cristã paquistanesa condenada à morte há seis anos em seu país, um defensor dos direitos humanos na Guatemala, dois prisioneiros pró-curdos na Turquia, um autor teatral de nacionalidade sueca-eritreia e um ativista de direitos humanos do Burundi.

A distinção, criada em 1988 em homenagem  ao dissidente soviético Andrei Sakharov, é concedida anualmente pelo Parlamento Europeu a indivíduos ou grupos que lutam pela defesa dos direitos humanos e das liberdades fundamentais. O primeiro contemplado foi o ex-presidente sul-africano Nelson Mandela.

RC/ap/afp/ots

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados