″Nós vamos vencer essa disputa″, diz Biden | Cobertura especial sobre as eleições nos Estados Unidos | DW | 07.11.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Eleições nos EUA

"Nós vamos vencer essa disputa", diz Biden

Próximo de conquistar o número necessário de delegados para assegurar a Presidência, democrata ainda evita clamar vitória, mas deixa claro que está confiante que a era Trump está chegando ao fim.

"Nós vamos vencer essa disputa", disse o democrata Joe Biden no início da madrugada deste sábado (07/11), enquanto sua vantagem sobre o presidente Donald Trump vem aumentando. O democrata já acumula 253 votos no colégio eleitoral e está próximo dos 270 necessários para conquistar a presidência, enquanto a contagem entra no quinto dia.

Biden apontou que a apuração mostra que os democratas devem vencer nos estados do Arizona e da Geórgia, que são há décadas bastiões do Partido Republicano. Por enquanto, Biden está à frente na contagem dos dois estados, que têm 27 votos em jogo, mais do que suficiente para ele assegurar a Presidência.

Ao lado de sua candidata a vice, Kamala Harris, Biden, apesar de demonstrar confiança num desfecho favorável para sua candidatura, ainda evitou clamar vitória. "Temos que permanecer calmos, ter paciência, enquanto contamos todos os votos", disse, em um recado em parte para os republicanos, que vêm tentando barrar a contagem em vários estados, conforme Trump foi ficando para trás.

"Não temos uma declaração final de vitória ainda, mas os números nos dizem que está claro", disse Biden em Wilmington, no estado de Delaware.

"Vamos vencer esta disputa. Basta olhar para o que aconteceu desde ontem. Vinte e quatro horas estávamos atrás na Geórgia, agora estamos à frente e vamos vencer naquele estado. Vinte e quatro horas atrás estávamos atrás em Pensilvânia, e vamos ganhar a Pensilvânia. E agora estamos na frente. Estamos ganhando no Arizona, estamos ganhando em Nevada - e nossa vantagem apenas dobrou em Nevada. Estamos no caminho para conquistar mais de 300 votos votos no colégio eleitoral. Vamos vencer esta disputa com uma maioria clara, com o apoio da nação", disse Biden.

Em um tom mais otimista e unificador do que o usado por Trump num discurso na quinta-feira, Biden também pediu para que os americanos deixem as diferenças políticas para trás. "Não somos inimigos. Somos americanos", disse. "Representarei toda a nação como presidente. Vou trabalhar duro tanto para quem votou em mim quanto para quem votou contra mim."

Já Trump, em seu pronunciamento na Casa Branca, usou um tom bem mais incendiário, afirmando, sem apresentar, que está sendo vítima de fraude. Ele também disse que ganharia a eleição se fossem contados apenas o que chamou de "votos legais".

Até o momento, Biden recebeu mais de 74 milhões de votos. Trump, por sua vez, recebeu pouco mais de 70 milhões. O republicano também está atrás do democrata na contagem de votos no colégio eleitoral, acumulando 214 votos.

Nos últimos dias, Trump, mesmo em desvantagem, já clamou vitória no pleito. Ele ainda afirmou que está pronto para ampliar uma ofensiva legal para contestar o resultado da eleição, o que deve elevar ainda mais a tensão nesta que já é um dos pleitos mais acirrados da história dos EUA.

JPS/ots