Museu italiano percebe roubo após devolução de obra pela polícia | Notícias internacionais e análises | DW | 19.01.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Europa

Museu italiano percebe roubo após devolução de obra pela polícia

Autoridades encontram pintura de 500 anos em apartamento em Nápoles e constatam que furto passou despercebido. Museu está fechado há meses devido à pandemia e não tinha sinais de arrombamento.

Policiais apresentam cópia de Salvator Mundi encontrada em armário de apartamento em Nápoles

Obra foi encontrada em armário de apartamento

A polícia italiana encontrou num apartamento em Nápoles uma pintura de 500 anos roubada de um museu que sequer tinha percebido que a obra havia sumido. A cópia do quadro Salvator Mundi, atribuído a Leonardo da Vinci, foi devolvida à igreja onde ela ficava exposta, que somente no momento da devolução se deu conta do roubo.

Autoridades afirmaram nesta segunda-feira (18/01) que o dono do apartamento, de 36 anos, foi preso sob suspeita de receptar bens roubados. A obra foi encontrada dentro de um armário no seu quarto. O suspeito alegou que comprou a pintura num mercado de pulgas. Uma arma foi encontrada no local.

Retratando Jesus com uma mão erguida e outra segurando uma bola de cristal, o quadro pertence à coleção do Museu Doma na Igreja de San Domenico Maggiore, em Nápoles. A obra é uma cópia de Salvator Mundi, que foi arrematada em leilão por cerca de 450 milhões de dólares, supostamente a mando do príncipe-herdeiro saudita Mohammed bin Salman.

O quadro foi levado do museu sem que ninguém percebesse o roubo. O local está fechado há meses devido às restrições impostas para conter o avanço da pandemia de covid-19. Dessa forma, o furto da obra não havia sido reportado às autoridades.

"A pintura foi encontrada no sábado graças a uma operação policial brilhante e diligente. Não havia queixa e, de fato, contatamos a igreja que não estava consciente do desaparecimento porque a sala onde estava a pintura não era aberta há três meses", contou o promotor de Nápoles Giovanni Melillo.

A polícia investiga agora como a pintura foi roubada do museu, onde não havia nenhum sinal de arrombamento. Autoridades suspeitam que uma organização de comércio internacional de artes tenha encomendado o furto.

A autoria do quadro datado de 1.500 é atribuída ao artista Giacomo Alibrandi, que fora aluno de Leonardo da Vinci.

CN/rtr/afp

Leia mais