Mortes de bebês por covid-19: ″Falta cuidado intensivo quando é necessário″ | Programa de ciência, meio ambiente e tecnologia da DW Brasil | DW | 05.05.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Futurando!

Mortes de bebês por covid-19: "Falta cuidado intensivo quando é necessário"

[Vídeo] Consultora responsável por analisar dados da pandemia no Brasil explica por que o país chegou a quase 1.700 crianças mortas por covid-19 em 2020. "Tristeza infinita", lamenta.

Assistir ao vídeo 29:00

Mais de 50 mil crianças foram hospitalizadas no Brasil por covid-19 em 2020, e quase 1.700 morreram vítimas da doença. Muitas dessas crianças ainda estavam nos primeiros dias de vida. Os dados são da Vital Strategies, uma organização global de saúde pública, e põem sob questionamento a cultura de que os mais jovens estão menos suscetíveis ao coronavírus.

Segundo a consultora sênior da instituição, Fátima Marinho, que trabalhou na análise dos dados, as mortes pela síndrome respiratória estão diretamente ligadas ao contexto socioeconômico das crianças. "Falta cuidado intensivo quando é necessário", diz, referindo-se ao fato de que algumas não possuem acesso a serviços de saúde adequados. Sem contar que estão sujeitas ao "mesmo colapso que se vê para o adulto".

Em geral internadas sem a companhia dos pais, as crianças também estão sendo pouco testadas. "É uma tristeza infinita", lamenta Marinho.