Morte de político alemão pode ter tido motivação extremista | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 17.06.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Alemanha

Morte de político alemão pode ter tido motivação extremista

Um militante de extrema direita foi preso em conexão com a morte de um político conservador de Kassel pró-migração. Suspeito já teve ligação com grupos neonazistas e foi condenado por atacar abrigo de refugiados.

Deutschland Trauerfeier für Walter Lübcke, Kasseler Regierungspräsident (picture-alliance/dpa/S. Pförtner)

Enterro de Walter Lübcke contou com a presença de 1.300 pessoas e uma guarda de honra composta por policiais e militares das Forças Armadas

A procuradoria federal da Alemanha anunciou na segunda-feira (17/06) que assumiu as investigações do homicídio do chefe do conselho administrativo do distrito de Kassel, Walter Lübcke, indicando a suspeita que o crime pode ter tido motivação política e envolvimento da extrema-direita.

Lübcke, de 65 anos e filiado à União Democrata-Cristã (CDU), foi encontrado morto por seus parentes no terraço da sua residência com um tiro na cabeça no dia 2 de junho. A polícia rapidamente descartou a hipótese de suicídio ou disparo acidental. Nenhuma arma foi encontrada no local. A autópsia revelou que o disparo ocorreu à curta distância.

"Nós assumimos o caso", disse uma porta-voz do Ministério Público Federal, que lida com crimes motivados por extremismo político e religioso. Segundo o jornal Süddeutsche Zeitung, os procuradores federais assumiram o controle da investigação depois que os indícios apontaram "a suspeita de que um extremista de direita ou de um grupo terrorista de direita estejam envolvidos".

No último sábado, a polícia alemã prendeu um suspeito: um homem de 45 anos que reside no estado de Hessen. De acordo com as autoridades, a prisão ocorreu com base em provas de DNA.

Deutschland Ermittlungen im Fall Lübcke (picture-alliance/dpa/S. Pförtner)

O local do crime. Polícia descartou suícidio ou disparo acidental

Segundo veículos da imprensa alemã, o suspeito já teve ligação com grupos de extrema direita, entre eles o núcleo do neonazista Partido Nacional-Democrático (NPD) do estado de Hessen. De acordo com a revista Der Spiegel, o suspeito já foi detido no passado em Dortmund durante um confronto entre extremistas e sindicalistas durante as festividades de 1° de maio e tinha ficha por posse ilegal de armas, furtos e outros delitos. Já o semanário Die Zeit identificou o suspeito como Stephen E. e informou que ele já havia sido condenado por tentar atacar um abrigo de refugiados em Hessen nos anos 1990.

Lübcke, o político assassinado, vinha sendo regularmente alvo de críticas e insultos da cena extremista local por suas posições pró-migrantes, segundo o jornal Hessische/Niedersächsische Allgemeine. Ele também defendeu publicamente a política de braços abertos da chanceler federal Angela Merkel durante a crise dos refugiados de 2015.

À época, durante uma audiência pública, ele bateu boca com militantes de extrema direita que criticavam a instalação de abrigos provisórios para refugiados no distrito.

Lübcke era chefe do distrito de Kassel (que engloba a cidade de mesmo nome e outras 137 municipalidades desde 2009). Seu enterro contou com a presença de 1.300 pessoas e uma guarda de honra composta por policiais e militares das Forças Armadas.

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

 

Leia mais