Morre ex-presidente iraniano Hashemi Rafsanjani | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 08.01.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Irã

Morre ex-presidente iraniano Hashemi Rafsanjani

Clérigo que governou o país de 1989 a 1997 sofre ataque cardíaco aos 82 anos. Político influente foi um dos arquitetos da Revolução Iraniana de 1979.

O ex-presidente do Irã Ali Akbar Hashemi Rafsanjani morreu neste domingo (08/01) em Teerã, aos 82 anos. Rafsanjani foi um dos líderes da Revolução Iraniana de 1979 e presidiu o país entre 1989 e 1997. A morte de muçulmano xiita simboliza uma grande perda para o movimento reformista do Irã, destacou o The New York Times.

Nascido em Bahreman, no sul do Irã, Rafsanjani estudou teologia. Ele entrou na política em 1963, quando o revolucionário aiatolá Ruhollah Khomeini foi preso pelo regime repressor do xá, uma oligarquia que vivia da corrupção e do nepotismo. 

Homem de confiança de Khomeini, Rafsanjani foi presidente do parlamento iraniano por dois mandatos consecutivos, até a morte de líder iraniano, em 1989. Ele, então, assumiu a presidência logo depois do fim da guerra entre Irã e Iraque, com uma gestão marcada por um discurso de reconstrução, reforma e restabelecimento das relações do Irã com os vizinhos árabes.

O governo de Rafsanjani, porém, também foi marcado por violações de direitos humanos, alta na inflação e relações difíceis com a Europa. Depois de cumprir dois mandatos como presidente do país, Rafsanjani teve um papel importante para a eleição do reformista Mohammad Khatami, que ficou no poder entre 1997 e 2005. 

O clérigo voltou a se candidatar para a presidência do Irã em 2005, mas perdeu para o conservador radical Mahmoud Ahmadinejad, de quem foi grande opositor. Rafsanjani foi forte apoiador da eleição do atual presidente iraniano, Hassan Rouhani, em 2013. 

Rafsanjani também teve um papel relevante para a assinatura do acordo nuclear iraniano em troca da retirada de sanções internacionais ao país.

Desde 1990, Rafsanjani ocupava o cargo de presidente do Conselho de Discernimento, a alta instância política do país responsável por mediar e resolver conflitos entre o Parlamento e o Conselho dos Guardiões.

KG/afp/efe

Leia mais