MoMA fechará quatro meses para reforma | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 06.02.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Cultura

MoMA fechará quatro meses para reforma

Museu de Arte Moderna de Nova York será ampliado e ganhará mais de 3.700 metros quadrados. Segundo instituição, reforma criará espaços para a apresentação da arte de maneira nova e interdisciplinar.

Entrada do MoMA

Após a reforma, o MoMA passará a abrir das 10h às 21h

O Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA) anunciou nesta terça-feira (05/02) que fechará suas portas por quatro meses, entre 16 de junho e 20 de outubro, para reformas. O local está sendo ampliado e, ao final da obra, ganhará mais de 3.700 metros quadrados para exposições.

O projeto custou no total 400 milhões de dólares e visa não apenas adicionar galerias ao museu, mas também promover o diálogo entre as diferentes formas de artes visuais, pintura, arquitetura, escultura, fotografia e design.

"O verdadeiro valor desta expansão não é só conseguir mais espaço, mas um espaço que nos permita repensar a experiência da arte no museu", declarou o diretor do MoMA, Glenn D. Lowry, em nota.

A nova intervenção incluirá uma sala para programações ao vivo e apresentações, assim como uma plataforma, no segundo andar, com fins educativos na qual o visitante será convidado "a conectar-se com a arte", afirma o museu.

Um piso no térreo ampliando terá galerias no nível da rua para aproximar a arte das pessoas que circulam nas ruas do centro de Manhattan. O segundo, quarto e quinto andares devem oferecer uma "experiência da arte mais profunda através de todos os meios e de artistas de mais diversas geografias e bagagens".

Estes três espaços estarão articulados de maneira cronológica para oferecer continuidade aos visitantes. A instituição também informa que as exposições destas galerias mudarão a cada seis ou nove meses para mostrar diferentes aspectos da história da arte moderna e contemporânea.

Entre as exposições programadas para a reabertura do museu estão uma sobre a arte moderna latino-americana e outra sobre a artista afro-americana Betye Saar, além de uma instalação do queniano Michael Armitage.

Após a reforma, o MoMA passará a abrir das 10h às 21h.

O MoMa é um dos museus de arte mais proeminentes dos Estados Unidos e possui obras de Pablo Picasso, Roy Lichtenstein e outros mestres modernos. A atual reforma é uma prova da saúde financeira da instituição, sustentada por várias doações colossais recebidas nos últimos anos.

CN/afp/lusa/efe

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais