Molecada alemã Sub-21 é campeã da Euro e mostra como se faz aos marmanjos | Colunas semanais da DW Brasil | DW | 08.06.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coluna Halbzeit

Molecada alemã Sub-21 é campeã da Euro e mostra como se faz aos marmanjos

Jovem equipe conquista o tri após derrotar Portugal e arranca elogios de craques como Manuel Neuer e Thomas Müller. Expectativa é que triunfo sirva de motivação para a seleção principal na Eurocopa.

Amos Pieper segura a taça ao lado dos colegas após vitória da Alemanha sobre Portugal na final da Euro Sub-21

Amos Pieper segura a taça ao lado em meio aos colegas após vitória sobre Portugal na final da Euro Sub-21

O time comandado pelo técnico Stefan Kuntz venceu Portugal na final da Euro Sub-21 por 1 x 0 e conquistou o tri. Em 2009, havia vencido esse torneio pela primeira vez ao derrotar a Inglaterra por 4 x 0, com Neuer, Boateng, Hummels e Özil já prenunciando futuros triunfos da seleção principal. 

Demorou oito anos para a Sub-21 alemã se impor novamente em 2017, dessa vez contra a Espanha (1 x 0) e agora, com um time sem grandes estrelas em ascensão – pelo menos por enquanto – obteve esse triunfo inesperado, pelo menos para a maioria dos observadores que acompanham de perto o dia a dia das seleções Sub da Alemanha.

O elenco convocado por Stefan Kuntz era considerado, do ponto de vista técnico, um dos mais fracos dos últimos anos. Nem de longe ele se comparava ao time de ouro campeão de 2009, sendo inferior também ao de 2017, no qual já despontava Serge Gnabry, hoje titular no Bayern e na seleção principal.    

No decorrer da competição, entretanto, o time se desenvolveu e subiu de produção a cada etapa vencida. Resgatou uma característica histórica das seleções alemãs, que tinham a fama de serem elencos especificamente talhados para torneios internacionais de curta duração, além de manterem os nervos no lugar em partidas decisivas do mata-mata.

Depois de passar pela fase de grupo com alguns percalços – apenas uma vitória contra Hungria e dois empates (Holanda e Romênia) – superou a Dinamarca nas quartas de final através da cobrança de penalidades máximas. Daí para frente foi a campo de peito estufado.

A vitória na semifinal sobre a Holanda estava encaminhada decorridos apenas oito minutos de jogo. À essa altura,o placar já estava em 2 x 0 – os dois gols marcados por Florian Wirtz, de apenas 18 anos. Os oranjes ainda marcariam seu gol de honra, mas era tarde demais. A molecada alemã estava na final pela terceira vez consecutiva, na qual prevaleceu sobre Portugal e levantou o caneco.

Stefan Kuntz, desde 2017 no cargo de técnico da Sub-21, pode se orgulhar de sua gestão. Levou o time três vezes à final da Euro e conquistou dois títulos. Nenhum outro técnico alemão das seleções nacionais Subobteve tanto sucesso. Eufórico, depois da vitória sobre Portugal na final, não se conteve: "Eu disse para a turma que, se quisermos vencer, precisamos jogar com um coração de leão para poder conquistar tudo, tudo mesmo". Dito e feito.

Encerrada a final, Kuntz se juntou aos seus comandados que dançavam efusivamente no gramado do Estádio Stozice (Liubliana, Eslovênia) e, com lágrimas de alegria nos olhos, se curvou diante sua equipe e seu artilheiro Lukas Nmecha, autor do gol do título. 

Lukas Nmecha, Ismail Jakobs, Salih Ozcan e Karim Adeyemi (da dir. para esq.)

Os jovens talentos Lukas Nmecha, Ismail Jakobs, Salih Ozcan e Karim Adeyemi (da dir. para esq.) após a conquista do tri

Nmecha é um bom exemplo do árduo caminho a ser percorrido por um jovem talento para se tornar um profissional. Nascido em Hamburgo, ainda criança emigrou com a família para a Inglaterra, onde se formou nos times de base do Manchester City. No time principal, teve a oportunidade de atuar em apenas duas ocasiões. Foi cedido por empréstimo ao Wolfsburg, mas não deu certo. Sua estrela começou a brilhar na pequena Liga da Bélgica, na qual  marcou 18 gols em 37 jogos pelo Anderlecht na temporada passada.

"Fala-se tanto em valores de mercado, mas no fim das contas nós fomos os melhores e foi por isso que triunfamos", declarou o sorridente Nmecha durante a festa de arromba num hotel, com direito a cerveja e champanhe, sem esquecer de sua avó, para quem mandou um "Oi, vó, eu te amo" pelo Whatsapp.

A seleção principal, que está concentrada para a Eurocopa 2021, acompanhou atentamente a campanha dos colegas mais jovens. Especialmente a conquista do título pela molecada arrancou elogios dos marmanjos.

Manuel Neuer, capitão da Mannschaft, não se conteve: "Oi, moçada. Parabéns! Torcemos muito aqui, e vocês fizeram um baita trabalho. Mereceram levantar a taça. Vocês são o melhor time do torneio." Mats Hummels também se manifestou no Twitter: "Sim, é isso! Vocês mostraram como se luta! Parabéns!" Thomas Müller, conhecido como "Radio Müller", por falar até pelos cotovelos, não hesitou: "Que desempenho fantástico!"

Para o torcedor alemão, foi um alento ver a molecada Sub-21 conquistar o tri, e a expectativa é que esse triunfo possa servir de motivação para os marmanjos da seleção principal na Eurocopa 2021 já no seu primeiro compromisso contra a França, daqui a sete dias, em Munique.

---
Gerd Wenzel começou no jornalismo esportivo em 1991 na TV Cultura de São Paulo, quando pela primeira vez foi exibida a Bundesliga no Brasil. Atuou nos canais ESPN como especialista em futebol alemão de 2002 a 2020, quando passou a comentar os jogos da Bundesliga para a OneFootball de Berlim. Semanalmente, às quintas, produz o Podcast "Bundesliga no Ar". A coluna Halbzeit sai às terças.

Leia mais