Ministro dos Transportes da Alemanha quer abrir mercado para a Uber até 2021 | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 17.11.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Alemanha

Ministro dos Transportes da Alemanha quer abrir mercado para a Uber até 2021

Titular da pasta quer facilitar regras para empresas de aplicativos de transporte. Uber nunca deslanchou no país europeu por causa de conflitos com leis locais.

USA Dienstleistungsunternehmen Uber (picture alliance/dpa/Imaginechina/Da Qing)

Modelo de negócios da Uber sempre entrou em choque com leis locais na Alemanha

O ministro dos Transportes da Alemanha, Andreas Scheuer, quer abrir o mercado do país europeu para os serviços de compartilhamento de viagens de carros oferecidos por empresas como a Uber até 2021, informou neste sábado (17/11) a revista alemã Focus.

Segundo declarações de Scheuer á revista, serviços oferecidos pela Uber e outras empresas podem ajudar a suprir a demanda por transporte em regiões com pouca oferta de serviços, como áreas rurais.

O ministro dos Transportes também disse que deseja mudar as leis existentes para permitir que esses prestadores de serviço operem normalmente na Alemanha.

"Podemos criar novas possibilidades, especialmente em áreas rurais e para pessoas mais velhas, com serviços de carro e sistemas de compartilhamento", disse Scheuer, que é membro da conservadora União Social-Cristã (CSU) da Baviera. "Essa é uma oportunidade gigantesca."

A Uber, empresa avaliada em cerca de 70 bilhões de dólares (260 bilhões de reais), nunca decolou na Alemanha. O modelo de motorista freelancer entrou em conflito com as leis existentes. Atualmente, apenas taxistas licenciados pelas autoridades locais podem aceitar corridas.

"Sou contra proibições e limites. Sou a favor de incentivos", disse Scheuer à revista. "Não podemos simplesmente excluir um fornecedor de serviços".

O ministério de Scheuer tem trabalhado na reforma das leis de transporte de passageiros. Não ficou claro se a permissão para o serviço de compartilhamento de viagens é parte do processo de reforma em andamento.

A Uber, que atua em mais de 60 países, enfrentou batalhas legais com motoristas de táxi e autoridades municipais quando fez sua primeira incursão na Alemanha em 2014 – assim como ocorreu em outros países. Seu modelo de negócios de uso de motoristas de táxi não licenciados foi considerado ilegal por um tribunal alemão. A Uber também enfrentou proibições similares em várias outras cidades europeias.

Atualmente, o aplicativo da Uber só oferece viagens com taxistas licenciados em Berlim e Munique. A empresa pretende ter uma presença em todas as grandes cidades alemãs até 2020.

JPS/rt/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais