Ministro do Interior sugere feriado muçulmano na Alemanha | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 14.10.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Ministro do Interior sugere feriado muçulmano na Alemanha

Thomas de Maizière diz que data poderia ser introduzida em regiões do país onde vivem muitos muçulmanos. Conservadores criticam proposta, e líder social-democrata elogia.

Muçulmanas caminham no bairro de Neuköln, em Berlim

Mulheres muçulmanas caminham no bairro de Neuköln, em Berlim

O ministro do Interior da Alemanha, Thomas de Maizière, foi duramente criticado por correligionários nesta sexta-feira (13/10) por ter sugerido a criação de um feriado religioso muçulmano em algumas regiões da Alemanha.

Durante um evento na cidade de Wolfenbüttel, ele disse que se pode pensar sobre a criação de um feriado muçulmano em regiões onde vivem muitos seguidores do islamismo e lembrou que alguns feriados, como o Dia de Todos os Santos, também só existem onde há muitos católicos.

Thomas de Maizière

De Maizière lembrou que alguns feriados, como o Dia de Todos os Santos, também só existem onde há muitos católicos

A declaração provocou duras críticas de políticos dos partidos conservadores União Democrata Cristã (CDU), à qual De Maizière é filiado, e União Social Cristã (CSU). "Introduzir feriados islâmicos na Alemanha está fora de questão para nós", declarou o líder da CSU no Parlamento, Alexander Dobrindt, ao jornal Bild. Segundo ele, a tradição cristã da Alemanha não está em debate.

O vice-presidente da CSU, Manfred Weber, declarou ao Passauer Neue Presse que feriados representam sobretudo o cunho religioso de um país e não grupos sociais específicos. Para ele, a Alemanha tem uma inquestionável tradição cristã.

Na CDU, o especialista em questões sociais Wolfgang Bosbach afirmou não ver motivos para que feriados não cristãos sejam postos sob a proteção de normas legais. "Temos uma tradição judaico-cristã e não islâmica."

Já o presidente do Partido Social-Democrata, Martin Schulz, declarou que a sugestão deve ser considerada e debatida com seriedade. O Conselho Central dos Muçulmanos na Alemanha elogiou a ideia, afirmando que ela favorece a integração dos muçulmanos na sociedade.

Devido às críticas, o Ministério do Interior esclareceu neste sábado que o ministro "estaria disposto a debater sobre feriados muçulmanos isolados em determinadas regiões, mas, de forma geral, ele se atém à convicção de que nossa cultura de feriados tem raiz cristã e nenhuma outra".

O ministério também lembrou que as decisões sobre feriados cabem aos estados e não ao governo federal. "Ou seja, o ministro do Interior não tem qualquer influência sobre a existência ou não de feriados religiosos, incluindo islâmicos."

AS/dpa/afp

Leia mais