Ministro alemão cogita imposição de novas sanções à Síria | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 31.07.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Ministro alemão cogita imposição de novas sanções à Síria

Tropas do presidente Baschar al-Assad voltam a atacar, desta vez atirando em 'tudo o que se mexia', relatam testemunhas. Um vídeo amador mostra que alguns soldados teriam se recusado a participar da missão.

Vídeo amador registra ataques na Síria

Vídeo registra ataques

Uma ofensiva do exército sírio na cidade de Hama, reduto da oposição no noroeste do país, matou dezenas de pessoas neste domingo (31/07). Ativistas dos direitos humanos e moradores locais falam em quase cem mortos e inúmeros feridos.

Corpos ainda estariam espalhados pela cidade, divulgaram as agências de notícias. Porém não é possível ter certeza absoluta das informações, uma vez que o governo sírio expulsou a maioria dos jornalistas estrangeiros do país.

Tiros no escuro

Vídeo amador registra a retirada de soldados que se recusam a atacar

Vídeo amador registra a retirada de soldados que se recusam a atacar

Até agora, sabe-se que as forças armadas oficiais fizeram uso de canhões e metralhadoras e teriam se posicionado nos telhados das casas, para atirar.

"Choveram granadas na cidade. Os soldados atiraram em tudo que se mexia", descreveu uma testemunha. Outra contou pelo telefone à agência de notícias AP que o Exército não escolhe alvo, apenas atira.

Um médico reportou à Reuters que Hama foi atacada de quatro cantos diferentes. O número exato de vítimas ainda é desconhecido e pode aumentar, uma vez que o hospital foi afetado, na intenção de impedir que civis pudessem procurar ajuda.

Alguns soldados teriam se recusado

Cena do vídeo amador

Cena do vídeo amador

Antes dos ataques, ao amanhecer do dia, o governo do presidente Baschar al-Assad teria mandado interromper o fornecimento de água e energia elétrica na quarta maior cidade do país.

Um militar, que se dizia coronel, teria se recusado a participar da missão. Ele não estaria sozinho: centenas de soldados fizeram o mesmo, segundo as imagens de um vídeo amador, supostamente filmado neste domingo em Hama.

O Exército se deslocou também para Deir al-Zour e Harak (sul da Síria), onde foram registradas presenças de tanques de guerra.

Westerwelle condenou o ataque

Conselho de Segurança da ONU precisa reagir, acredita ministro Guido Westerwelle

Conselho de Segurança da ONU precisa reagir, acredita ministro

O ministro alemão do Exterior, Guido Westerwelle, condenou a recente onda de violência na Síria e sugeriu a imposição de novas sanções, caso Assad não pare com os ataques aos manifestantes.

"O que estamos verificando na Síria muito me indigna", afirmou. Berlim espera contar com o apoio dos Estados Unidos e de parceiros da região, para exigir uma mudança de atitude de Assad. "Estamos convencidos de que o Conselho de Segurança da ONU precisa reagir à violência neste país", defendeu.

A Síria é palco de manifestações contra o regime de Assad desde o mês de março. O governo respondeu aos protestos com violência, conflitos que renderam cerca de 1.600 mortos. Segundo organizações de direitos humanos, as forças do governo prenderam outras 12 mil.

Autora: Ursula Kissel (br)
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais