Milhares exigem libertação de líderes catalães em Barcelona | Notícias internacionais e análises | DW | 11.11.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Espanha

Milhares exigem libertação de líderes catalães em Barcelona

Protesto intenso na capital da Catalunha reúne 750 mil pessoas, segundo polícia local, contra a prisão de ex-membros do governo regional e líderes separatistas após declaração de independência. Puigdemont envia mensagem.

Spanien Protesten in Barcelona für die Freilassung der katalanischen Politiker (Getty Images/AFP/J. Lago)

Manifestantes pedem "liberdade" em faixas erguidas durante o protesto

Centenas de milhares de manifestantes foram às ruas de Barcelona neste sábado (11/11) para exigir que o governo em Madri liberte dez líderes da Catalunha que estão detidos por envolvimento com a declaração unilateral de independência realizada por essa região autônoma da Espanha.

A multidão se concentrou principalmente pela extensa rua da Marina, passando por locais emblemáticos, como a basílica Sagrada Família, um dos símbolos da cidade. Cartazes traziam frases como "Liberdade para os presos políticos" e "Somos uma república".

Segundo estimativa da polícia catalã, 750 mil pessoas participaram do protesto, convocado pelas organizações Assembleia Nacional da Catalunha (ANC) e Òmnium – os presidentes desses grupos pró-independência, Jordi Sànchez e Jordi Cuixart, respectivamente, também estão presos.

Spanien Protesten in Barcelona für die Freilassung der katalanischen Politiker (Reuters/J. Barbancho)

Bandeiras da Catalunha coloriram a marcha, que passou pela emblemática Sagrada Família (ao fundo)

Durante a manifestação, foi divulgada uma mensagem de Carles Puigdemont, líder separatista catalão que foi destituído do governo regional após a declaração de independência. Alvo de uma ordem de prisão emitida pela Justiça espanhola, ele está em Bruxelas acompanhado de ex-conselheiros do governo catalão e disse que só voltará à Espanha com garantias.

"Queremos ouvir vocês, e certamente nós que estamos em Bruxelas e aqueles que estão na prisão ouviremos seu clamor", afirmou Puigdemont aos manifestantes. "Não nos deixemos ter medo daqueles que querem cortar nossas liberdades e aniquilar e humilhar nossas instituições."

Spanien Protesten in Barcelona für die Freilassung der katalanischen Politiker (Reuters/J. Barbancho)

"Liberdade para presos políticos", diz um cartaz que muitos manifestantes carregavam neste sábado

Em mensagem publicada no Twitter durante o protesto, o ex-líder catalão disse ainda que "a luz de vocês [manifestantes] chega até nós em Bruxelas e ilumina o caminho pelo qual devemos continuar seguindo". "Vocês são nossa força", completou.

O governo espanhol prendeu no início do mês oito ex-membros do governo da Catalunha, incluindo o ex-vice-presidente Oriol Junqueras e sete ex-conselheiros. Os ativistas Jordi Sànchez e Jordi Cuixart já estavam detidos.

A prisão, segundo as autoridades espanholas, foi pela participação dos líderes na declaração unilateral de independência anunciada em 27 de outubro. Em resposta, o governo presidido por Mariano Rajoy resolveu dissolver o Parlamento da Catalunha e convocou eleição na região para 21 de dezembro.

Na quinta-feira passada, um tribunal espanhol mandou libertar cinco integrantes do Parlamento dissolvido, entre eles a presidente da Casa, Carme Forcadell. Eles poderão acompanhar em liberdade a investigação sobre o envolvimento na tentativa de independência da Catalunha.

Forcadell deixou a prisão nesta sexta-feira após pagar uma fiança de 150 mil euros, mas decidiu não participar da manifestação deste sábado por orientação de seu advogado.

EK/ap/rtr/afp/lusa/efe/ots

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais