1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Theresa May
"Se nos unirmos atrás de um acordo, podemos unir nosso país novamente", disse May no ParlamentoFoto: picture-alliance/empics

May luta por sua sobrevivência política

15 de novembro de 2018

Em meio a renúncias de ministros e críticas da oposição e de membros de seu próprio partido, primeira-ministra britânica defende sua proposta de acordo para o Brexit perante o Parlamento.

https://p.dw.com/p/38Im5

A primeira-ministra britânica, Theresa May, luta por sua sobrevivência política enquanto busca apoio para um acordo preliminar para o Brexit alcançado com a União Europeia (UE). May defendeu sua estratégia perante o Parlamento Britânico nesta quinta-feira (15/11), após dois de seus ministros e dois secretários de Estado anunciarem suas renúncias.

O ministro britânico para o Brexit, Dominic Raab, e a ministra do Trabalho e Previdência Social, Esther McVey, anunciaram que deixariam seus cargos afirmando serem incapazes de apoiar o plano de May, elaborado em nível técnico por negociadores do Reino Unido e da União Europeia e apresentado nesta quarta-feira aos membros do gabinete da premiê.

"Não posso conciliar os termos do acordo proposto com as promessas que fizemos ao país em nosso manifesto após as eleições", disse Raab, se referindo ao referendo em que a maioria dos eleitores britânicos optou pela saída do Reino Unido da UE. "Isso é, em essência, uma questão de confiança pública."

Pouco depois, McVey também anunciou sua renúncia afirmando que "não adianta fingir que esse acordo honra o resultado do referendo, quando está claro para todos que não o faz".

Perante o Parlamento, May insistiu que sua proposta é o melhor acordo que o Reino Unido pode conseguir para deixar a UE, alertando que as únicas alternativas seriam deixar o bloco sem acordo ou não deixá-lo.

A menos de cinco meses da data estipulada para a saída do Reino Unido da UE, no dia 29 de março, aumentam os temores sobre uma possível a falta de um acordo, o chamado "hard Brexit". O Partido Trabalhista britânico, de oposição, disse que o governo britânico está "desmoronando".

A premiê enfrentou perguntas hostis de vários parlamentares nesta quinta, não apenas da oposição, mas também de seus próprios correligionários conservadores.

"Se nos unirmos atrás de um acordo, podemos unir nosso país novamente e aproveitar as oportunidades que temos pela frente", disse May. "O povo britânico quer que nós façamos isso."

Além de Raab e McVey, também se demitiram nesta quinta-feira o secretário de Estado para a Irlanda do Norte, Shailesh Vara, e a secretária de Estado do Brexit, Suella Braverman.

Com as renúncias desta quinta-feira, a primeira-ministra contabiliza 18 demissões de membros de seu governo desde novembro do ano passado. Entre estas, dez estavam diretamente relacionadas à sua estratégia para o Brexit.

O primeiro-ministro francês, Edouard Philippe, resumiu as incertezas em Londres, afirmado que os europeus precisam se preparar para a possibilidade de não haver acordo algum. Os líderes da UE se reunirão no dia 25 de novembro para ratificar o acordo preliminar.

RC/rtr/ap/afp

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Pular a seção Mais sobre este assunto
Pular a seção Conteúdo relacionado