Marinha alemã expulsa piratas na costa da Somália | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 25.12.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Marinha alemã expulsa piratas na costa da Somália

Pouco após iniciar participação na missão antipirataria da UE, marinheiros alemães já foram postos à prova. Helicópteros conseguiram salvar de seqüestro cargueiro egípcio no Golfo de Aden.

default

Marinheiros alemães na Missão Atalanta

Nesta quinta-feira (25/12) a Marinha alemã entrou em ação na missão antipirataria no Chifre da África, de que o país participa há apenas poucos dias. Segundo o comando em Potsdam, dois helicópteros de bordo das fragatas Karlsruhe e Mecklenburg-Vorpommern acorreram em auxílio do cargueiro egípcio Wabi al Arab, assediado por piratas no Golfo de Aden.

Os marinheiros alemães conseguiram obrigar os criminosos a bater em retirada. Um membro da tripulação do cargueiro egípcio, ferido durante a confrontação, foi transportado de helicóptero para o Karlsruhe, onde recebeu cuidados médicos.

Missão recente

Somalische Piraten in Bassaso

Polícia somaliana vigia piratas capturados em Bassaso

O Karlsruhe deixara o porto de Djibuti apenas na terça-feira passada, para patrulhar o Golfo de Aden dentro da missão antipirataria Atalanta, da União Européia. Há menos de uma semana, a câmara baixa do parlamento aprovara a participação alemã na operação. O Mecklenburg-Vorpommern já se encontrava naquele território marítimo, como parte da missão antiterrorismo Enduring Freedom.

Ainda segundo o comando da Marinha, em Potsdam, o pedido de socorro do cargueiro foi captado pela manhã. Num torpedeiro, os piratas tentavam chegar a bordo do Wabi al Arab, quando alvejaram um membro da tripulação a tiros. Noel Choong, do Escritório Marítimo Internacional (IMB), em Kuala Lumpur, acrescentou que o navio comercial atacado navegava com 31 tripulantes de Suez para a Ásia.

Participação internacional cresce

Choong, que dirige o Centro de Informações sobre Pirataria do IMB, declarou-se feliz pela rápida intervenção da tropa internacional. Segundo ele, em 2008 houve 110 ataques de piratas no Golfo de Aden e 42 embarcações foram abordadas. Exceto 14 delas, somando mais de 240 tripulantes, todas foram liberadas após pagamento do resgate.

A UE está representada na caça aos piratas da costa somali pela Alemanha, a França e o Reino Unido. Os Estados Unidos, a Índia e o Irã também patrulham a zona. A China pretende participar com três navios de guerra, e o Japão também considera enviar seus marinheiros para o Nordeste Africano.

Leia mais