Mais da metade dos venezuelanos não quer ficar no Brasil | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 27.04.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Brasil

Mais da metade dos venezuelanos não quer ficar no Brasil

Estudo da ONU revela que maioria dos migrantes da Venezuela que entraram no país nos últimos meses deseja ir para Argentina ou Chile. Roraima e Amazonas são os destinos preferidos daqueles que querem ficar no Brasil.

Venezuelanos atravessaram a fronteira com o Brasil

Cerca de 50 mil venezuelanos atravessaram a fronteira com o Brasil nos últimos anos

Um estudo da ONU revelou nesta sexta-feira (27/04) que 52% dos migrantes venezuelanos que entraram no Brasil nos últimos meses desejam viver em outros países, principalmente na Argentina e no Chile.

Segundo o estudo realizado pela Organização Internacional para as Migrações (OIM), com base em entrevistas feitas em Roraima, a maioria dos 48% dos venezuelanos que desejam permanecer no Brasil gostariam de ficar onde estão ou seguir para o Amazonas.

Leia também: A fome se propaga na Venezuela

A pesquisa mostrou ainda que 71% dos venezuelanos que entraram no Brasil tem entre 25 e 49 anos. A maioria deles, 58%, é homem. A crise econômica, o desemprego e a escassez de alimentos e medicamentos são os principais motivos que levaram os entrevistados a deixar a Venezuela.

O estudo revelou também que 57% dos venezuelanos não têm emprego no Brasil e a maioria dos que têm, 82%, estão no mercado informal. Dos que trabalham 76% enviam remessas para suas famílias na Venezuela.

A pesquisa apontou que 28% dos entrevistados sofreram violência verbal, física ou sexual no Brasil. A maioria dos entrevistados afirmou ainda ter acesso a serviços básicos, com exceção da educação.

"Esses resultados proporcionam aos tomadores de decisão dados confiáveis sobre os nacionais da Venezuela e suas necessidades em mudança no estado de Roraima", disse o chefe de missão da OIM no Brasil, Stéphane Rostiaux.

O estudo foi elaborado em parceria com Ministério de Direitos Humanos e visava fornecer dados para a compreensão deste fluxo migratório e desenvolver políticas públicas para atender os migrantes.

A entrada em massa de venezuelanos em Roraima, que chegam pela cidade de Pacaraima, começou em 2015. Pelo menos 50 mil venezuelanos entraram por via terrestre em Roraima - número que alcança 10% da população do Estado.

A Venezuela enfrenta uma grave crise econômica e política, que levou milhares de venezuelanos a deixar o país. A onda migratória atingiu especialmente países que fazem fronteira com a Venezuela, como a Colômbia e o Brasil.

CN/efe/ots

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App | Instagram

Leia mais