Maduro é pressionado para não tomar posse | Notícias sobre a América Latina e as relações bilaterais | DW | 07.01.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

América Latina

Maduro é pressionado para não tomar posse

Presidente da Venezuela critica o Legislativo por declarar que seu novo mandato é ilegítimo. Maduro reagiu à pressão internacional e da Assembleia Nacional para que não tome posse quinta-feira.

Assistir ao vídeo 02:01

Nicolás Maduro criticou o Legislativo por declarar que seu novo mandato é ilegítimo: "É uma Assembleia totalmente inútil aos interesses nacionais, e é ilegal". Maduro reagiu à pressão internacional e do Parlamento para que não tome posse quinta-feira. O Grupo de Lima, formado por 14 países do continente, declarou que não reconhecerá o governo de Maduro e ameaçou com sanções. "Os países do Grupo de Lima instam Nicolás Maduro a não assumir a presidência em 10 de janeiro de 2019 e que respeite as atribuições da Assembleia Nacional e lhe transfira de forma provisória o Poder Executivo até que se realizem novas eleições democráticas", disse Néstor Popolizio, ministro das Relações Exteriores do Peru.