México constrói barreira para controlar invasão de sargaço | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 09.08.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Meio ambiente

México constrói barreira para controlar invasão de sargaço

Invasão da espécie, que emite mau cheiro e muda a cor do mar, é associada ao aquecimento global. Sargaço possui ainda substâncias tóxicas que causam a morte de peixes.

Sargaço acumulado em Playa del Carmen, no México

Sargaço mudou a paisagem em Playa del Carmen, no México

A Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Naturais do estado mexicano de Quintana Roo anunciou nesta quinta-feira (09/08) que está construindo barreiras no mar ao longo da região conhecida com Riviera Maya para conter a invasão de sargaço nas praias.

As estruturas de contenção devem ficar prontas na próxima semana. Em comunicado, a secretaria disse que as barreiras não representam nenhum risco para a fauna marinha e para navios. As autoridades planejam ainda tentar desviar a alga em alto mar para que ela seja levada por correntes marinhas para outra direção.

O sargaço é um tipo de alga marrom que em condições favoráveis pode duplicar de tamanho a cada 18 dias. Além de mudar para marrom o azul-turquesa das águas, as algas, ao chegarem na praias, entram em decomposição devido ao calor e ao sol, emitindo mau cheiro.

A presença desta alga tem se tornado comum na região. Neste ano, porém, a quantidade de sargaço é muito maior que a registrada nos últimos três anos. Associada ao aquecimento dos oceanos e às mudanças climáticas, a invasão desta espécie obrigou os governos locais a investir na sua remoção de praias.

O fenômeno não afeta somente o México, mas praticamente todo o Caribe. Desde 19 de junho, caminhões já retiraram toneladas de sargaço das praias ao longo da Riviera Maya, que inclui famosos destinos turísticos, como Cancun.

Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), a proliferação desenfreada do sargaço é um fenômeno novo. Quando acumulada em águas costeiras, a alga apodrece, consumindo o oxigênio da água e soltando substâncias tóxicas que causam a morte de peixes.

O excesso de sargaço que chega às praias do Caribe é original do Mar dos Sargaços, situado no Oceano Atlântico perto das Bahamas, e no Golfo do México. No entanto, as novas ondas de algas, intensificadas em 2014 e 2015, procedem mais provavelmente de uma região localizada entre África e Brasil.

Sem ser nociva para humanos, os efeitos desta maré estão afetando o turismo, com as praias paradisíacas de areia branca e fina transformadas em "lixeiras malcheirosas", e a pesca de todos esses países da região ao bloquear as saídas para o mar.

CN/efe/ap/dpa

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp 

App | Instagram | Newsletter

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados