Localizados mais cinco corpos nos destroços do navio Costa Concordia | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 23.03.2012
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Localizados mais cinco corpos nos destroços do navio Costa Concordia

Resgate dos corpos pode levar dias, afirmam autoridades. Ainda há dois desaparecidos. A operação para a retirada do combustível está quase concluída.

The oil tanker Elba (R) and oil recovery sea platform Meloria (C) are seen near the capsized cruise liner Costa Concordia, which ran aground off the west coast of Italy, at Giglio island February 12, 2012. Salvage crews on the island of Giglio prepared to resume operations on the Costa Concordia on Sunday. Snowfall and rough seas over the past week brought operations on the cruise liner to a standstill but calmer seas on Sunday offered hopes that operations could now resume. REUTERS/Giampiero Sposito (ITALY - Tags: MARITIME DISASTER TRANSPORT)

Concordia

Equipes italianas de resgate encontraram mais cinco corpos de vítimas do naufrágio do navio Costa Concordia. O acidente, que aconteceu no dia 13 de janeiro, deixou 32 mortos. Ao todo, 30 cadáveres foram encontrados.

Os três primeiros corpos foram encontrados na parte submersa da embarcação, disse o chefe da equipe de resgate Franco Gabrielli, nesta quinta-feira (23/03).

Em comunicado, o Departamento de Proteção Civil informou que os outros dois cadáveres foram encontrados na área da terceira ponte da embarcação, que chocou-se contra um rochedo próximo à ilha de Giglio, na Toscana.

A retirada desses cinco corpos pode demorar dias. O Costa Concordia transportava mais de 4.200 pessoas, sendo 3.200 turistas de 60 nacionalidades e cerca de 1.000 membros da tripulação. A embarcação afundou parcialmente.

Retirada do combustível quase concluída

Nesta quinta-feira foi retirado o resto do combustível que havia no navio e nesta sexta-feira os trabalhos serão finalizados, disse o prefeito da ilha de Giglio, Sérgio Ortelli, afastando o risco de uma catástrofe ambiental.

Nos tanques haviam cerca de 2.300 metros cúbicos de combustível. A operação para a remoção do conteúdo inflamável começou no dia 12 de fevereiro. Uma empresa holandesa foi responsável pelo bombeamento. As medições mostraram que a água ao redor da embarcação está limpa e cristalina, disse Ortelli.

Agora as autoridades se preocupam com a retirada no navio, de 290 metros, o que pode levar de 10 a 12 meses. Ainda não foi decidido como será feita a remoção. Uma das ideias é partir o Costa Concordia. A empresa responsável pela retirada da embarcação será divulgada em breve.

O comandante da embarcação, Francesco Schettino, e oito membros da tripulação foram processados. Schettino é acusado de homicídio por imprudência, falta de comunicação com as autoridades marítimas e de ter abandonado o navio durante o resgate dos passageiros. Ela cumpre prisão domiciliar.

KR/lusa/dpa
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais