1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Torcedores em jogo do Union Berlin e Hertha BSC
Torcedores em jogo do Union Berlin e Hertha BSCFoto: Andreas Gora/dpa/picture alliance
EsporteAlemanha

Liga Alemã de Futebol rejeita interromper temporada

24 de novembro de 2021

Organização descartou apelo de clube da segunda divisão para interromper jogos em meio ao aumento dramático de novos casos de covid-19 na Alemanha.

https://www.dw.com/pt-br/liga-alem%C3%A3-de-futebol-rejeita-interromper-temporada/a-59925800

A Liga Alemã de Futebol (Deutsche Fußball Liga, conhecida pela sigla DFL) rejeitou nesta quarta-feira (24/11) um apelo para interromper a atual temporada em meio a recordes consecutivos de casos de covid-19 no país.

A DFL, responsável pelas duas primeiras divisões do futebol alemão, fez a declaração em resposta a um pedido de Helge Leonhardt, presidente do clube de segunda divisão Erzgebirge Aue, da Saxônia, para que os jogos fossem interrompidos até dezembro.

Leonhardt havia afirmado que o futebol precisa servir de exemplo e colocar a segurança das pessoas em primeiro lugar. Ele também afirmou que a medida era necessária para ajudar a diminuir o risco de novas infecções e reduzir a pressão sobre o sistema de saúde alemão.

"A DFL registra os comentários do presidente do Erzgebirge Aue", disse a entidade em comunicado, acrescentando que quaisquer medidas futuras seguirão o conselho das autoridades estaduais de saúde da Alemanha. "A linha aprovada por todos os 36 clubes [nas duas primeiras divisões] desde o início da pandemia sempre foi agir com base em diretrizes das autoridades".

"Um lockdown generalizado autoimposto no sentido de uma interrupção da temporada está fora de questão", concluiu a DFL.

A Alemanha registrou um novo recorde de 66.884 novas infecções e 335 mortes adicionais por coronavírus nesta quarta-feira, o que elevou o total de óbitos para quase 99.768, segundo dados do Instituto Robert Koch de Doenças Infecciosas (RKI). A Alemanha deve atingir ainda nesta semana o total de 100 mil mortes registradas ao longo da crise sanitária.

A incidência de casos por 100 mil habitantes em sete dias no país europeu superou a marca de 400 pela primeira vez desde o início da pandemia, ficando em 404,5 nesta quarta. Há uma semana, a incidência de sete dias era de 319,5, e há um mês, de 106,3.

De acordo com dados do RKI, um total de 68,1% da população da Alemanha está totalmente imunizada contra a covid-19. A taxa está praticamente estagnada há semanas.

A baixa taxa de vacinação é considerada uma das razões para o avanço da quarta onda da pandemia, e autoridades afirmaram que o país vive uma "pandemia dos não vacinados". Especialistas dizem que, para controlar a pandemia de forma eficaz, é necessário um percentual de imunização superior a 75%.

A discussão sobre implementar a vacinação obrigatória contra a covid-19 vem ganhando força e, nesta semana, o ministro da Saúde, Jens Spahn, usou palavras drásticas para tentar motivar a parcela da população que ainda não foi imunizada a tomar a vacina.

"Possivelmente, ao fim deste inverno, praticamente todos aqui na Alemanha — isso às vezes é dito, de forma algo cínica — estarão vacinados, curados ou mortos. Mas de fato é assim", disse Spahn.

jps (Reuteres, DW, ots)