Lance Armstrong admite doping, afirma imprensa dos EUA | Siga a cobertura dos principais eventos esportivos mundiais | DW | 15.01.2013
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Lance Armstrong admite doping, afirma imprensa dos EUA

Ciclista, que sempre negou categoricamente o uso de substâncias proibidas, admite ter conquistado sete Voltas da França dopado, afirmam jornais e agências de notícias.

O ciclista Lance Armstrong quebrou o silêncio. Em entrevista à apresentadora Oprah Winfrey, Armstrong admitiu o uso de substâncias proibidas, afirmam agências de notícias e jornais norte-americanos, baseados em fontes ligadas ao programa da apresentadora.

O ciclista e Oprah gravaram a entrevista num hotel na cidade de Austin, no Texas, na noite desta segunda-feira (14/01). Armstrong, outrora considerado o maior ciclista de todos os tempos, teria admitido na entrevista que competiu dopado desde a metade da década de 90, incluindo todas as sete etapas da Volta da França que ele conquistou. Armstrong teria melhorado o seu rendimento usando testosterona, cortisona e eritropoietina, mais conhecida por EPO.

Assim que terminou a gravação, Oprah publicou em sua conta do Twitter: "Acabei de passar duas horas e meia com @lancearmstrong. Ele estava preparado!" O jornal americano The New York Times publicou que Armstrong pretende testemunhar contra "várias pessoas poderosas do ciclismo". Suspeita-se que a União Ciclística Internacional (UCI) tinha conhecimento e acobertava o sistema de dopagem que envolvia a equipe em torno de Armstrong.

Segundo a imprensa, a estratégia do ciclista é se colocar à disposição da Justiça americana e colaborar com as investigações na tentativa de diminuir a punição de exclusão do esporte e de prováveis julgamentos que estão por vir.

Armstrong corre o risco de ser preso por falso testemunho perante os inquéritos feitos pela Agência Antidoping dos Estados Unidos (Usada, em inglês). Caso semelhante levou a ex-pentacampeã olímpica Marion Jones a seis meses de prisão e 400 horas de trabalhos comunitários, em 2008.  

Nem Armstrong nem Oprah quiseram comentar o que foi dito na entrevista que vai ao ar nesta quinta-feira (17/01), no canal OWN, nos Estados Unidos.

Radrennsport - Lance Armstrong

Armstrong conquistou sete vezes a Volta da França. Vitórias foram cassadas pela UCI no final de 2012

Carreira vencedora e fim trágico

A carreira de Armstrong alcançou patamares antes inimagináveis. Em 1992, ele fica em 14º lugar nos Jogos Olímpicos de Barcelona. Após os Jogos, torna-se ciclista profissional e em sua primeira corrida, La Clasica de San Sebastian, termina em último lugar. Um ano mais tarde é campeão mundial e vence pela primeira vez uma etapa da Volta da França.

Porém, em 1996, o primeiro choque na vida do ciclista. Armstrong é diagnosticado com câncer nos testículos e que se espalhou pelos pulmões e cérebro. Ele é submetido a sessões de quimioterapia. No ano seguinte recomeça os treinamentos e funda a instituição Livestrong, que fornece apoio a vítimas de câncer.

Em 1999 começa a escalada espetacular do atleta. O americano conquista a Volta da França por sete anos consecutivos e é festejado como o maior ciclista de todos os tempos.

Em 2004 começaram os rumores de que Armstrong pudesse estar tomando substâncias dopantes.

Em 2005, no mesmo ano que Armstrong anuncia sua aposentadoria, o jornal esportivo francês L'Equipe divulga que foram encontradas amostras de EPO em seis testes de urina do ciclista, feitos em 1999. Armstrong nega e a UCI declara o ciclista inocente porque as contraprovas não foram tiradas nos padrões científicos exigidos. A Agência Mundial Antidoping (Wada) chama o relatório da UCI de ridículo.

Armstrong voltaria a competir em 2008. Em 2009 a Agência Francesa de Luta contra o Doping (AFLD, em francês) acusou o americano de não cooperar nos controles de dopagem. Em 2010 é a vez de um colega de equipe, Floyd Landis, acusar o heptacampeão de usar componentes dopantes.

A partir de 2011 a situação começa a ficar apertada para Armstrong. Os ex-colegas Stephen Swart e Tyler Hamilton relatam o uso de EPO nas Voltas da França de 1999 até 2001. O ciclista anuncia a sua aposentadoria definitiva.

No ano passado a Usada fecha o cerco, acusa Armstrong de uso de substâncias proibidas e o suspende de todas as competições para o resto da vida. Armstrong, que até este ponto havia sempre negado categoricamente o uso de doping, abdica do procedimento jurídico. No relatório final da Usada consta que Armstrong e sua equipe haviam "praticado o sistema de doping mais inteligente, bem-sucedido e profissional da história do esporte".

No dia 22 de outubro, a UCI cassa os sete títulos da Volta da França, aniquilando de vez a carreira mais vitoriosa da história do ciclismo.

Armstrong parece estar agora tentando um recomeço. O primeiro passo já foi dado. Momentos antes da sua confissão à Oprah, ele foi à sede de sua instituição Livestrong e, com a voz embargada, pediu perdão. Alguns empregados teriam chorado e o clima teria sido digno do enterro de uma estrela mundial.

PV/sid/dpa
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais