Juncker chama Parlamento Europeu de ridículo | Notícias internacionais e análises | DW | 04.07.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

União Europeia

Juncker chama Parlamento Europeu de ridículo

Irritado por apenas um pequeno número de deputados ter comparecido a um debate sobre a presidência maltesa da UE, presidente da Comissão Europeia critica instituição legislativa.

Jean-Claude Juncker critica eurodeputados em Estrasburgo

"Parlamento deve respeitar também presidências dos países menores", afirmou Juncker

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, chamou de ridículo o Parlamento Europeu nesta terça-feira (04/07), durante um debate em sessão plenária do qual participaram algumas poucas dezenas dos 751 eurodeputados.

Juncker, que é conhecido por seu estilo direto, estava irritado por encontrar apenas um pequeno grupo de eurodeputados no plenário de Estrasburgo para ouvir o relatório sobre os seis meses de presidência da União Europeia ocupados por Malta, o menor membro do bloco.

"O Parlamento Europeu é ridículo, totalemente ridículo. Eu saúdo os que fizeram o esforço de aparecer, mas o fato de haver só 30 deputados presentes neste debate demonstra claramente que este parlamento não é sério", disse Juncker.

O líder do executivo comunitário salientou ainda que, se em vez do primeiro-ministro maltês, Joseph Muscat, estivesse na sala a chanceler federal alemã, Angela Merkel, ou o presidente francês, Emmanuel Macron, haveria casa cheia.

A intervenção de Juncker foi imediatamente criticada pelo presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani. "O senhor pode criticar o Parlamento, mas não é a Comissão Europeia que controla o Parlamento. É o Parlamento que controla a Comissão Europeia."

Juncker respondeu: "Mas há apenas uns poucos membros no plenário para controlar a Comissão. Vocês são ridículos!"

"Senhor presidente, eu lhe peço para usar uma linguagem diferente. Nós não somos ridículos", rebateu Tajani.

Juncker encerrou a discussão dizendo que "nunca mais" vai participar de "uma reunião como esta". "O Parlamento deve respeitar também as presidências dos países menores, o que não está fazendo", comentou o presidente da Comissão Europeia.

Um porta-voz do Parlamento Europeu disse mais tarde que os dois líderes se reuniram e que Juncker pediu desculpas por suas palavras.

AS/lusa/afp

Leia mais