Jornal divulga e-mail racista atribuído à candidata da AfD | Todas as informações sobre as eleições na Alemanha em 2017 | DW | 11.09.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Eleição na Alemanha

Jornal divulga e-mail racista atribuído à candidata da AfD

"Welt am Sonntag" publica mensagem supostamente escrita por Alice Weidel e de conteúdo racista e xenófobo. Ela nega autoria e diz que se trata de "campanha grosseira".

Alice Weidel, da AfD

Texto atribuído à Alice Weidel, da AfD, descreve membros do governo de Merkel como "porcos"

A duas semanas das eleições legislativas na Alemanha, o jornal alemão Welt am Sonntag publicou neste domingo (10/09) um e-mail de conteúdo racista e xenófobo atribuído à candidata Alice Weidel, do partido populista de direita Alternativa para a Alemanha (AfD).

Segundo a publicação, o e-mail datado de 24 de fevereiro de 2013, que contém "comentários racistas e de menosprezo à democracia", foi enviado por Weidel a um amigo quando ela morava em Frankfurt e trabalhava como gerente de ativos da seguradora Allianz.

Leia a cobertura completa sobre a eleição na Alemanha em 2017.

"O motivo por que estamos inundados de pessoas de culturas estrangeiras, como árabes, sinti e roma etc, é a destruição sistemática de nossa sociedade civil como possível contrapeso, pelos inimigos da Constituição pelos quais somos governados", teria escrito Weidel, citada pelo jornal.

No texto atribuído à candidata da AfD, os membros do governo da chanceler federal Angela Merkel são descritos como "porcos" que seriam "marionetes dos Aliados na Segunda Guerra", incumbidos de "manter reduzido o povo alemão" através de "guerras civis moleculares" por meio de "infiltração estrangeira" nos grandes centros urbanos.

Assistir ao vídeo 01:17

Quem são os novos líderes da AfD?

No texto são empregados termos de conotação nazista, como Überfremdung, que, em tradução livre, significa "infiltração estrangeira". Essa expressão é utilizada nos círculos da extrema direita para incitar sentimentos xenófobos.

Durante uma conversa online, Weidel negou a autoria do texto, afirmando se tratar de uma "campanha grosseira". Mas, ao ser questionada por um dos participantes se ela garantiria por juramento que o e-mail não era dela, respondeu apenas: "Vocês vão ver o que vamos fazer".

O jornal, porém, afirmou ter uma declaração sob juramento de autenticidade, feita pelo destinatário, e depoimentos de pessoas que faziam parte do círculo pessoal e profissional de Weidel na época em que a mensagem foi escrita e que atestam a veracidade das declarações.

Weidel lidera a lista da AfD para o Bundestag, ao lado do dissidente da CDU (União Democrata Cristã) Alexander Gauland. Ele disse que o e-mail é uma tentativa de manter a AfD fora do Bundestag "a qualquer custo".

RC/afp/dpa/ots

Leia mais

Links externos

Áudios e vídeos relacionados