Iraque amplia ofensiva contra EI em Falluja | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 30.05.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Iraque amplia ofensiva contra EI em Falluja

Forças iraquianas avançam para retomar cidade controlada pelo "Estado Islâmico" desde 2014, com apoio da coalizão internacional liderada pelos EUA. Temor é de que extremistas usem civis como escudo humano.

Forças iraquianas iniciaram nesta segunda-feira (30/05) uma nova ofensiva contra o grupo terrorista "Estado Islâmico" (EI) para recuperar a cidade de Falluja, a oeste da capital Bagdá.

"As forças do Iraque entraram em Falluja sob a cobertura aérea da coalizão internacional [contra o EI] e da força aérea iraquiana, com o suporte de artilharia e tanques", informou o tenente-general Abdelwahab al-Saadi, responsável pela operação.

O porta-voz Yahia Rasoul disse em entrevista à televisão estatal iraquiana que as forças "avançam constantemente" por três frentes.

A grande operação conjunta começou na última segunda-feira. Em uma semana, tropas iraquianas conseguiram retomar vilas e áreas rurais ao redor de Falluja, que é controlada pelos extremistas desde janeiro de 2014.

Autoridades estimam que cerca de 50 mil civis estejam sob poder do EI na cidade, aumentando o temor de que eles possam ser usados como escudo humano pelos jihadistas.

Esta não é a primeira vez que Falluja é palco de disputas. Em 2004, os Estados Unidos libertaram a cidade da invasão de grupos rebeldes. Soldados americanos, no entanto, foram acusados de violar direitos humanos e de fazer uso controverso de armas incendiárias.

EI perde territórios

A coalizão internacional liderada pelos EUA contra o EI no Iraque e na Síria tem imposto derrotas aos extremistas.

Desde dezembro de 2015, os jihadistas perderam o controle de Ramadi, a capital da província de Al-Anbar, e da cidade de al-Rutbah, que fica próxima às rotas que levam à Jordânia e à Síria.

Combatentes curdos peshmerga tentam recuperar Mosul, uma das maiores cidades iraquianas, que se tornou um dos principais bastiões do EI. O grupo tomou o controle da cidade seis meses depois de invadir Falluja.

Em resposta à ofensiva iraquiana, o EI provocou uma série de explosões em Bagdá nesta segunda. Ao menos 24 pessoas morreram nos atentados. O mais grave foi um ataque suicida num bairro xiita, que matou oito civis e três soldados e deixou 14 feridos.

KG/dpa/afp

Leia mais