Indústria alemã continuará gerando empregos no Brasil, afirmam empresários em Vitória | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 31.08.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Indústria alemã continuará gerando empregos no Brasil, afirmam empresários em Vitória

Ministro Guttenberg abriu Encontro Brasil-Alemanha destacando importância da cooperação. Rodadas de negócios estão no centro da pauta. Em 2008 balança comercial entre os dois países fechou com 18 bilhões de euros.

default

Miguel Jorge, Guttenberg e Keitel

Começou neste domingo (30/08), na cidade de Vitória, o 27° Encontro Econômico Brasil-Alemanha. A abertura do evento bilateral, considerado um dos mais importantes na área econômica, contou com a presença do ministro da Economia e Tecnologia da Alemanha, Karl-Theodor zu Guttenberg.

Seguindo a proposta principal do evento deste ano, "Cooperação para o crescimento e o emprego – ideias e resultados" , Zu Guttenberg ressaltou o histórico de cooperação entre Brasil e Alemanha, que considera produtivo. "Vários representantes de nossa indústria estão aqui, com propostas de cooperação entre os dois países. Creio que haverá uma série de medidas, como resultado da troca de ideias", sublinhou.

O ministro brasileiro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, ressaltou que a Alemanha é o país com que o Brasil tem uma das mais antigas relações econômicas e diplomáticas. "Há empresas alemãs no Brasil há cerca de 150 anos. Esse tipo de relação é um fator importante para o processo de participação efetiva da Alemanha na Copa do Mundo de 2014, por exemplo", disse.

Brasilien Carlo und Sabine Lovatelli und Karl-Theodor Freiherr zu Guttenberg

Sabine e Carlo Lovatelli e ministro Guttenberg (c)

Para Hans-Peter Keitel, da Confederação das Indústrias Alemãs (BDI), a cooperação da Alemanha no Brasil nos próximos anos não se resumirá ao evento de 2014, e afirmou que a presença das empresas alemãs em território brasileiro não é transitória. "Nossas ofertas não se destinam somente ao Mundial de futebol. A indústria alemã vai continuar gerando empregos no Brasil. Queremos responder à amizade brasileira e retribuir com cooperação de longo prazo."

Personalidade Brasil-Alemanha

O ministro Zu Guttenberg participou da cerimônia de entrega do prêmio Personalidade Brasil-Alemanha 2009. Este ano, a premiação, que prestigia figuras ligadas ao meio político e empresarial dos dois países, foi entregue pela primeira vez a dois casais, de destaque também no cenário sociocultural.

Do lado brasileiro, o prêmio foi concedido ao casal Carlo Lovatelli, presidente da Associação Brasileira de Agribusiness (Abag) e diretor de Assuntos Corporativos da Bunge Brasil, e Sabine Lovatelli, uma das fundadoras do Mozarteum Brasileiro, instituto que há 30 anos promove a inclusão social por meio da música.

Brasilien Karlheinz und Angelika Pohlmann

Karlheinz e Angelika Pohlmann e Ricardo Ferraço

Representando a Alemanha, receberam o prêmio Karlheinz Pohlmann, presidente da Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração (ABM) e do Conselho Administrativo do Hospital Alemão Oswaldo Cruz; e Angelika Pohlmann, que se destaca por ações de responsabilidade social no Lar Social Girassol – do qual é uma das idealizadoras – que ampara crianças de zero a 17 anos de idade.

Mapeamento de investimentos

A cerimônia também abriu espaço para o lançamento do guia Road Map Brazil – Oportunidades de negócios para empresas alemãs entre 2010-2030 . O estudo faz um mapeamento de negócios e investimentos previstos para os próximos anos no país. O primeiro exemplar foi entregue ao ministro alemão.

São aproximadamente 900 projetos de infraestrutura como rodovias, portos, petróleo e gás, energias renováveis e, é claro, a Copa do Mundo de 2014. De acordo com Weber Porto, presidente da Câmara Brasil-Alemanha, os aportes previstos pela iniciativa privada e pelo governo são de 2,8 trilhões de euros entre 2010 e 2030. "O estudo mostra caminhos para a Alemanha projetar definitivamente investimentos no nosso país", ressalta.

Rodada de negócios

Cerca de mil empresários, políticos e representantes do setor público debatem possibilidades de cooperação. Nos próximos dias, as rodadas de negócios terão destaque na programação do encontro. A iniciativa visa estimular a elevação do intercâmbio comercial. Estão programadas visitas técnicas a empresas da região, como a mineradora Vale do Rio Doce, e a plataformas de petróleo da Petrobras.

O Encontro Econômico Brasil-Alemanha acontece anualmente, alternando cidades dos dois países. Colônia foi a sede anterior do evento que tem como objetivo estreitar parcerias empresariais. Em 2008, a balança comercial entre as duas nações fechou com resultado de 18 bilhões de euros.

Autor: Júlia Assef
Revisão: Augusto Valente

Leia mais