Homem é detido em Marselha após atropelar pedestres | Notícias internacionais e análises | DW | 21.08.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Homem é detido em Marselha após atropelar pedestres

Motorista invade dois pontos de ônibus com furgão. Uma pessoa morre e outra fica gravemente ferida. Condutor tem antecedentes criminais, mas autoridades descartam motivação terrorista e atestam problemas psiquiátricos.

Motorista lançou furgão contra pedestres em dois pontos de ônibus em Marselha, no sul da França

Motorista lançou furgão contra pedestres em dois pontos de ônibus em Marselha, no sul da França

Uma pessoa morreu e outra ficou gravemente ferida quando um furgão avançou contra pedestres em dois pontos de ônibus em Marselha, no sul da França, nesta segunda-feira (21/08). O motorista foi detido. A polícia local declarou ainda desconhecer as motivações dos atropelamentos e pediu à população que evite a área do Porto Velho.

A agência francesa de notícias AFP citou o promotor público Xavier Tarabeux, que não estaria tratando o caso como um atentado terrorista. "Nós encontramos no correio eletrônico [do motorista] uma conexão com uma clínica psiquiátrica, e estamos mais orientados para essa pista."

O primeiro atropelamento ocorreu no norte da cidade portuária, em Croix Rouge, no 13º arrondissement (distrito), deixando um pedestre gravemente ferido. O segundo ocorreu uma hora depois em Valentine, no 11º arrondissement, causando uma morte. Segundo a imprensa francesa, a vítima é uma mulher em torno dos 40 anos de idade.

As forças de segurança reagiram com uma operação policial pela cidade, resultando na prisão do motorista de um furgão branco da Renault, na região do Porto Velho. A imprensa francesa afirma que o veículo teria sido roubado, e que o detido de 35 anos possui antecedentes criminais (tráfico de drogas, roubo e porte de armas), mas não vínculos com o terrorismo. Há relatos de que ele teria algum tipo de problema psiquiátrico.

O incidente ocorreu menos de uma semana depois dos atentados em Barcelona e na Cambrils, na região espanhola da Catalunha, em que veículos foram usados como arma terrorista.

PV/lusa/efe/dpa/afp/rtr

Leia mais