Holanda começa 2018 um pouco maior | Notícias internacionais e análises | DW | 01.01.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Holanda começa 2018 um pouco maior

Após quase dois séculos, fronteira com a Bélgica é alterada, devido a mudança no curso do rio Maas. Território holandês ganha área equivalente a mais de 20 campos de futebol.

Niederlande Belgien Border Swap (picture-alliance/AP Photo/V. Mayo)

O rio visto no vilarejo de Eijsden, na Holanda

A Holanda começou o ano de 2018 com seu território um pouco maior – precisamente 16,3 hectares, graças a um acordo com a vizinha Bélgica.

A mudança se deu com o redesenho da fronteira ao longo do rio Maas: duas penínsulas de área combinada equivalente a 23 campos de futebol passaram para a Holanda.

Em contrapartida, a Bélgica passou a ser dona de outra península, antes holandesa e de área de 3 hectares, equivalente a quatro campos de futebol.

A mudança, entre as cidades de Vise (Bélgica) e Eijsden (Holanda), é fruto de um acordo bilateral assinado em novembro passado e representa a primeira alteração na fronteira desde 1843.

"O acordo mostra que as fronteiras também pode ser alteradas pacificamente", celeboru na ocasião o ministro do Exterior da Bélgica, Didier Reynders.

Screenshot Grenzen von Niederlande und Belgien am Fluss Maas (Google Maps)

O traçado antigo da fronteira, com as penínsulas do "lado errado"

O acordo foi necessário porque o rio Maas, usado como referência para fixar a fronteira no século 19, mudou seu curso depois de obras entre as décadas de 1960 e 1980, o que fez com que as penínsulas trocassem de país.

A questão começou a se revelar um problema há alguns anos, quando moradores passaram a reclamar de festas ilegais, com drogas e prostituição, nas penínsulas, que são inabitadas.

Há quatro anos, um mini-imbróglio diplomático surgiu quando um casal holandês, caminhando em uma das penínsulas, se deparou com um cadáver.

Eles ligaram para a polícia holandesa, que, no entanto, não pôde fazer nada porque o corpo estava em território belga, embora do lado holandês do rio.

Ao mesmo tempo, as autoridades belgas tiveram dificuldades para ter acesso à cena do crime, porque a polícia belga não pode cruzar a fronteira holandesa sem autorização especial. A solução foi apenas se aproximar do local de barco – não há porto para atracar.

"Nós tivemos que ir até o local de barco com tudo o que é necessário – promotor, médico legista, etc. Tivemos que ficar dando voltas de barco na água perto da península", contou o comissário de polícia local Jean-François Duchesne.

RPR/dpa/ots

--------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais