Hamburgo defende tradição na repescagem da Bundesliga | Leia as principais notícias sobre o futebol internacional | DW | 12.05.2014
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Futebol

Hamburgo defende tradição na repescagem da Bundesliga

Tradicional clube alemão nunca foi rebaixado e tem, com as duas partidas contra o Greuther Fürth, sua última chance nesta temporada de manter essa marca.

default

O relógio no estádio ostenta o orgulho do time, que sempre jogou a primeira divisão da Bundesliga

Um total de 50 anos e 260 dias na primeira divisão da Bundesliga, marcados por um gigantesco relógio digital na Imtech Arena que é o orgulho do Hamburgo. Membro fundador da liga em 1963, o clube é o único que nunca foi rebaixado ou disputou divisões inferiores na Alemanha.

Mas por pouco o relógio não parou na última rodada da atual temporada. O Hamburgo perdeu por 3 a 2 para o Mainz, mas foi beneficiado com a derrotas dos concorrentes na luta contra o rebaixamento, Nürnberg e Eintracht Braunschweig, e alcançou uma sobrevida na repescagem. Agora, duas partidas contra o Greuther Fürth, terceiro colocado da segunda divisão, definem se o relógio do dinossauro da Bundesliga será ou não desativado.

"Nós observamos o Greuther Fürth diversas vezes e sabemos exatamente o que nos aguarda. Vamos entrar com a motivação e dedicação máxima nos jogos da repescagem. A repescagem foi apenas um pequeno passo. A nossa meta, obviamente, é permanecer na Bundesliga", declarou Mirko Slomka, treinador do Hamburgo, que, no entanto, foi assistir à partida do Paderborn no domingo, e não a do Greuther Fürth. O Paderborn venceu a sua partida e alcançou o acesso direto à primeira divisão.

Fans von Hamburg SV Bundesliga FSV Mainz 05 vs. Hamburger SV

"2ª Liga, jamais!". Os torcedores do Hamburgo seguem confiantes com a permanência na primeira divisão

O Hamburgo é um dos clubes mais ricos da Europa, tem em seu plantel jogadores caros, como Rafael van der Vaart, René Adler, Marcell Jansen e Heiko Westermann, mas as constantes desavenças políticas internas do clube e a má administração dos últimos anos contribuíram para uma temporada infeliz. São apenas 27 pontos em 34 partidas, a defesa mais vazada do campeonato, com 75 gols, e impressionantes 19 rodadas entre os três últimos colocados na tabela de classificação.

"Na verdade, podemos estar felizes por simplesmente termos o direito de disputar essas duas partidas. Serão jogos como os da Copa da Alemanha", desabafou Oliver Kreuzer, diretor esportivo do clube. Os clubes se enfrentaram no torneio deste ano e o Hamburgo venceu por 1 a 0.

Sob Kreuzer, o HSV teve três treinadores na temporada. Thorsten Fink sobreviveu a apenas cinco partidas. O holandês Bert van Marwijk foi demitido depois da derrota por 4 a 2 contra o Braunschweig, na metade de fevereiro. Desde então, Mirko Slomka está no comando.

A esperança se chama Lasogga

Mas existem dois alentos para os torcedores do "Dino" da liga: de 2000 para cá, 15 clubes demitiram dois treinadores na mesma temporada, mas, no final do campeonato, apenas quatro foram rebaixados. E o Greuther Fürth não é nenhum desconhecido para o Hamburgo.

Hamburger SV - Greuther Fürth

Pierre-Michel Lasogga, sentado, comemora o gol que eliminou o Greuther Fürth na Copa da Alemanha

Exatamente no intermezzo entre a demissão de Fink e a contratação de Van Marwijk, o Hamburgo, comandado interinamente pelos treinadores da categoria de base, Rodolfo Cardoso e Otto Addo, venceu e eliminou o Greuther Fürth na segunda fase da Copa da Alemanha. O autor do único gol da partida foi o atacante Pierre-Michel Lasogga.

Com 22 gols na temporada, Lasogga é a principal esperança do Hamburgo. Depois de ter desfalcado a equipe por seis semanas devido a problemas musculares, ele atuou contra o Mainz e foi o jogador mais ativo em campo. A importância dele é tão grande que, quando o perigo do descenso direto não existia mais, Slomka, a fim de preservar Lasogga e já pensando na repescagem, substituiu o atacante no segundo tempo.

O tradicional Hamburgo, campeão europeu de 1983 e dono de seis títulos alemães, tem pela frente a semana mais importante de sua história. Na quinta-feira (15/05), a partida de ida será jogada em Hamburgo. No próximo domingo (18/05), é a vez da grande decisão em Fürth.

Ao menos uma coisa é certa: o relógio no estádio vai alcançar a marca de 50 anos e 266 dias.

Leia mais

Links externos