Há 30 anos escritor Michael Ende lançava ″A história sem fim″ | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 22.08.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Há 30 anos escritor Michael Ende lançava "A história sem fim"

Autor alemão é famoso por seus livros com histórias fantásticas para adultos e crianças. Sua obra mais famosa foi traduzida para 40 línguas e também fez sucesso nos cinemas, em 1984.

default

As aventuras de Bastian Balthazar Bux também viraram ópera

Há 30 anos, a história de Bastian Balthazar Bux e sua jornada por um mundo de fantasia chegava às livrarias alemãs. O livro A história sem fim ( Die unendliche Geschichte), de Michael Ende, fez sucesso mundial: um garoto rouba um livro, apaixona-se pela história, e entra na própria narrativa, num reino de seres diferentes, florestas densas e muita imaginação.

O autor alemão Michael Ende ficou conhecido no mundo literário por seus livros fantasiosos sobre mundos fascinantes, escritos para crianças, adolescentes e adultos. Em 2009 ele completaria 80 anos.

História atual

Passados 30 anos da publicação do livro de maior sucesso do autor, suas histórias continuam atuais. "Michael Ende é um clássico absoluto. Ele continua sendo muito lido", afirma Christiane Raabe, diretora da Biblioteca Internacional da Juventude, em Munique, e curadora do Museu Michael Ende.

Os livros do escritor já foram traduzidos em mais de 40 línguas. "As histórias de fantasia de Michael Ende são complexas, não são fáceis. Ele fala sobre coisas inconscientes, como mitos, os limites entre tempo e espaço, mas sem se distanciar da realidade", comenta Raabe.

No entanto, Michael Ende não queria ser visto como um escritor de livros infantis. E não gostou quando, em 1984, seu livro mais famoso se transformou em filme, dirigido por Wolfgang Petersen. Apesar de a produção ter quebrado recordes de custos e de bilheteria, Ende se distanciou dela, classificando-a como "um gigantesco melodrama de kitsch, comércio, pelúcia e plástico".

Portrait Michael Ende

Michael Ende

A vida do escritor

Michael Ende era filho do pintor surrealista Edgar Ende. Nasceu em 1929 na pequena cidade Garmisch-Partenkirchen, no estado da Baviera, no sul da Alemanha. Chegou a estudar para ser autor, mas investiu na carreira de escritor freelancer.

Em 1960, Ende publicou seu primeiro livro, Jim Knopf e Lucas o maquinista. Após ser rejeitado por mais de dez editoras, ele fez sucesso de imediato, sendo traduzido para mais de 20 línguas.

Seu segundo sucesso, Momo, foi publicado em 1973. Seis anos mais tarde, surgia a obra-prima do autor, A história sem fim. Michael Ende escreveu livros, novelas, óperas e poesias para todos os públicos, até a morte, em 1995, vítima de um câncer de estômago.

Narrativas de um amigo

O músico Wilfried Hiller, amigo de Ende, lembra-se bem daqueles tempos, em que o escritor estava comprometido com A história sem fim. Juntos, escreveram algumas canções e operas, mas o livro consumia todo o tempo de Ende. "Ele me disse que no momento não podia escrever nenhum texto para mim, por estar preso num livro de que não conseguia sair", conta.

Segundo Hiller, os sonhos eram o mundo do escritor: a mensagem que atravessa toda a sua obra é "que o ser humano precisa de sonhos e não pode viver sem eles".

O próprio Michael Ende dizia-se herdeiro da escola romântica alemã, especialmente do autor Novalis. Alguns críticos literários, contudo, atacaram justamente esse caráter sonhador, e tacharam suas histórias de didáticas e cheias de pretensão de melhorar o mundo.

NP/dpa
Revisão: Augusto Valente

Leia mais