Grupo Oetker tenta manter sua força sob nova direção, apesar da crise | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 29.05.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Grupo Oetker tenta manter sua força sob nova direção, apesar da crise

Richard tem a responsabilidade de administrar um império familiar, gigante da área de alimentos também atuante em outros campos. Para isto, ele precisa enfrentar seu passado e se tornar uma figura pública

default

Richard Oetker hoje

Quando Richard assumiu a direção do Grupo Oetker, no início deste ano, muitos observadores se surpreenderam. Richard Oetker voltaria a ter destaque, apesar de um trauma do passado – ele foi sequestrado em meados da década de 1970 e escapou por pouco da morte, após a família pagar um resgate milionário. Mestre-cervejeiro formado, trabalhou durante anos em silêncio, longe da vida pública. Agora, isso mudou drasticamente.

Ele recebeu o cargo das mãos de seu irmão August, que chefiou a companhia por quase 30 anos e, seguindo a tradição dos Oetker, passou o bastão para um parente mais novo ao completar 65 anos. Agora cabe a Richard a tarefa de reger o império familiar, que nasceu embalando fermento em pó e hoje trabalha com pizza, pudim, cerveja, navios de carga, agências de banco e hotéis de luxo.

Pizzen von Dr Oetker

Pizzas da Dr. Oetker: em todo o mundo

"Vocês sabem que não sou homem de aparecer sempre em público, mas agora faz parte do ofício. E há momentos em que também os funcionários esperam isso. Mais uma vez, constatei quantos bons funcionários temos na empresa, muito motivados, leais e dedicados. Só assim é possível alcançar o sucesso que alcançamos nos últimos anos. E Deus queira que continue assim", disse Richard Oetker.

O momento econômico

O discurso dá uma mostra do bom humor e do otimismo do novo homem forte da companhia. Contudo, seus desafios não são pequenos, porque a Oetker também sofreu com a crise econômica. Um dos motivos de preocupação seria a empresa de transporte marítimo Hamburg Süd, que tem dado prejuízos, assim como o grupo cervejeiro Radeberger, pois os alemães estão bebendo menos cerveja.

Em compensação, em outros campos vai tudo muito bem. Há dois anos, a empresa de Bielefeld lidera o mercado na Itália, a terra da pizza, com sua marca "Cameo". Aliás, as pizzas congeladas são o carro-chefe da empresa no mundo inteiro.

"O que acontece com a pizza, que dá para notar, é que algumas receitas funcionam em mais de um país. Uma pizza de salame conseguimos vender para muitos países. Exemplo: um pudim de chocolate com nossa receita alemã não conseguimos vender em tantos lugares, então precisamos criar e desenvolver nossas receitas para cada gosto. É fácil vender pizza para o mundo inteiro", explicou Oetker.

Oportunidade de crescimento

A Copa do Mundo da África do Sul já surge no horizonte, inclusive em Bielefeld. Assim, a Oetker Alimentos Ltda. vai lançar no mercado uma pizza congelada especial: com chakalaka. Trata-se de uma mistura de condimentos criada nos bairros negros de Johannesburgo. Com a África do Sul, a companhia estará presente em todos os continentes, diz Richard Oetker, que acrescenta com um sorriso no rosto: "menos na Antártida".

Richard Oetker

Oetker no julgamento de seu sequestrador (1979)

"Queremos ter condições de oferecer aos torcedores na África do Sul também as tradicionais pizzas Dr. Oetker. Já tomamos providências nesse sentido e estou confiante de que vamos conseguir", contou Richard.

Aliás, os negócios da Oetker Alimentos tiveram desempenho melhor no exterior que na Alemanha no ano passado. No país-sede da empresa, o movimento até recuou um pouco. Mesmo assim, Richard Oetker enfatiza que as instalações de produção na Alemanha serão ampliadas.

"Isto é possível, porque podemos produzir nossas mercadorias na Alemanha e exportá-las ou mandá-las para nossas empresas no exterior. É claro que tem que valer a pena financeiramente, o que nem sempre é fácil. Mas queremos, em todos os casos, fortalecer nossas fábricas na Alemanha e fazer o nosso melhor para atingir também esse objetivo", prometeu o empresário.

Cerca de 10 mil pessoas trabalham na Oetker Alimentos em todo o mundo. Apesar da crise de 2009, somente na Alemanha 100 novos postos de trabalho foram criados.

Presença no Brasil

No Brasil, o Grupo Oetker está presente desde a década de 1930. A empresa vende misturas para bolo, aromas, confeitos, chás, salgados, sobremesas prontas e pizzas congeladas. Além da Dr. Oetker, o grupo controla a Hamburg Süd Brasil Ltda., empresa de transporte marítimo, e a Aliança Navegação e Logística.

Autor: Monika Lohmüller (TM)
Revisão: Simone Lopes

Leia mais