Grupo de brasileiros declara lealdade ao ″Estado Islâmico″ | Rio 2016 | DW | 19.07.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Rio 2016

Grupo de brasileiros declara lealdade ao "Estado Islâmico"

É a primeira vez que um grupo da América Latina declara apoio aos jihadistas. Em serviço de mensagens, radicais publicam ameaças à polícia brasileira e falam em atentados.

default

Treinamento antiterrorista no Rio de Janeiro

Um grupo de radicais brasileiros declarou lealdade ao líder do Estado Islâmico (EI), Abu Bakr al-Baghdadi, e criou um canal no serviço de mensagens instantâneas Telegram, informou nesta segunda-feira (18/07) o Site Intelligence Group, site especializado em monitoramento de atividades jihadistas.

De acordo com a especialista Rita Katz, esta é a primeira vez que um grupo da América Latina declara apoio aos jihadistas do EI. Katz lembrou que a declaração realizada pelo grupo, autodenominado Ansar al-Khilafah Brasil, ocorreu a poucos dias do início dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

No Telegram, serviço de mensagens semelhante ao Whatsapp, o grupo destacou que, "se a polícia francesa não consegue deter ataques dentro do seu território, o treino dado à polícia brasileira não servirá para nada".

Em junho, a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) confirmou que estava monitorando um conjunto de pessoas que se comunicam em português num grupo do EI no Telegram. O grupo se chama Nashir Português, numa referência a uma agência de notícias em que o EI publica seus manifestos.

O governo brasileiro anunciou que reforçará o plano de segurança para o evento após o atentado executado na quinta-feira passada em Nice, na França, no qual morreram 84 pessoas. As autoridades anunciaram que intensificarão os controles durante a competição, que começa em 5 de agosto.

AS/efe/lusa

Leia mais