Grupo alemão de grafite virtual inova arte das novas mídias | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 22.06.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Grupo alemão de grafite virtual inova arte das novas mídias

"Light writing", "light painting" e "light graffiti" são nomes dados à arte de pintar com a luz que o vídeo e a fotografia revelam. Os artistas do grupo alemão Lichtfaktor são grandes inovadores da nova técnica.

default

Grupo de artistas chama seu trabalho de 'lightwriting'

No inverno europeu de 2006, o fotógrafo e VJ Marcel Panne, também conhecido como $ehvermögen, escutou falar pela primeira vez em light graffiti, a arte de pintar com a luz que o vídeo e a fotografia revelam após um tempo prolongado de exposição do objeto luminoso diante da câmera.

Natural de Monte Carlo e residente na cidade alemã de Colônia, Panne resolveu aliar sua experiência de fotógrafo e VJ à arte de rua. $ehvermögen uniu-se ao programador e VJ Jens Heinen, também conhecido como beat.surfers, e ao designer de comunicação e grafiteiro David Lüpschen, mais conhecido como JIAR, formando em Colônia o grupo de artistas Lichtfaktor (fator de luz, em alemão).

Desenvolvendo um tipo de desenho de luz que chamam de light writing (escrita de luz), o Lichtfaktor é hoje um dos grupos de artistas de novas mídias mais reconhecidos da Alemanha. Seu trabalho espalhou-se rapidamente através da internet, trazendo o grafite de rua ao mundo da web.

Além de conferências, workshops e apresentações, o grupo realiza light writings para programas de TV e firmas comerciais. Segundo os artistas de Colônia, eles utilizam a luz para dar expressão à sua criatividade, conectando o que há de melhor em fotografia, pintura, grafite de rua e filme Stop Motion.

Kölner Künstlerkollektiv Lichtfaktor

Série 'Paddington_London': Lichtfaktor pinta com luz através de tempo de exposição prolongado

Diversas influências

Usando fontes luminosas como lanternas, luzes de bicicleta ou LEDs, faz-se no ar o desenho desejado diante de uma câmera fotográfica ou câmera de vídeo. Em seu tutorial básico de light writing, o Lichtfaktor aconselha o uso de tripé, tempo de exposição de 10 a 30 segundos e sensibilidade ISO 100 . E também não se esquecer de integrar o entorno à fotografia.

Para Marcel Panne, tal técnica representaria a união perfeita entre a fotografia e a pintura. Ele afirma que Picasso teria sido uma de suas maiores influências, além dos filmes abstratos do alemão Oskar Fischinger.

Panne explicou que, entre os que influenciaram o grupo, estão os diretores de cinema Stanley Kubrick, George Lucas e David Lynch, o grafite e a arte de rua, os quadrinhos, artistas como Laurie Anderson, Wolf Vostell e Marco-93, além da vida cotidiana e da internet, evidentemente.

Escritores da luz

Além de editar suas fotos sem efeitos de computador, os artistas explicam que a grande novidade do seu trabalho está na utilização do que sabiam da arte de rua para fazer a light writing. Essa originalidade se nota no uso que fazem de diferentes fontes luminosas, de estênceis e caps (cápsula aplicável às latas para a pulverização do spray) para execução do light graffiti, light painting (pintura de luz) ou light drawing (desenho de luz), nomes pelos quais a técnica do light writing também é conhecida.

Em entrevista à Deutsche Welle, os grafiteiros virtuais de Colônia explicaram que escolheram o termo light writing, porque não queriam se restringir ao conceito do grafite de rua. O trabalho que fazem nem sempre tem a ver com o grafite, mas pode conter também elementos da pintura abstrata, do grafismo ou da música visual. "Basta o fato de termos vindo do grafite de rua, com o qual há uma relação bastante clara", afirmaram.

O mesmo se aplica à light painting (pintura de luz), termo com o qual a maioria das pessoas denomina esse tipo de trabalho. "Como você sabe, o que fazemos é muito mais do que pintura", explicou o Lichtfaktor.

Kölner Künstlerkollektiv Lichtfaktor

'Traffic': série de intervenções de luz em autoestradas alemãs

Forma de arte de rua

Diferentemente de muitos grafiteiros, o Lichtfaktor explicou que tudo o que faz é totalmente legal. Em cidades como Londres, no entanto, as medidas de segurança devido às ameaças de terrorismo dificultaram suas atividades. O grupo informou que nunca teve problemas com as autoridades na Alemanha, a não ser ao fazer a série de fotografias Traffic em autoestradas alemãs, quando foram aconselhados a usar jaquetas de segurança.

Para fazer light writing, Lichtfaktor explica que não basta escrever o nome ou fazer um coração com uma lanterna. Os artistas da luz utilizam todo o espaço em que um determinado trabalho é produzido e o integram em suas fotos e filmes de animação, de forma que não se torne somente um pano de fundo, mas também parte do próprio trabalho. Pois, segundo o grupo de artistas, o entorno é essencial para o trabalho que fazem, já que light writing é uma forma de arte de rua.

Um bom olho, uma mente atenta e uma locação bonita são os segredos de um bom resultado, mas o mais importante é a "ideia da fotografia", afirmaram os artistas. "Na maioria das vezes, sabemos o que queremos desenhar já antes de sair de casa, mas sempre nos deixamos inspirar por lugares e situações", disseram.

A arte da pós-produção

O Lichtfaktor afirmou dever seu sucesso à internet. Através de sites como YouTube ou Flickr, seus vídeos, fotos e os próprios artistas ganharam o mundo. O fato de a indústria sempre ter gostado de novas tendências também explica seu sucesso comercial. "Mas sempre fizemos o que gostamos de fazer", ressaltaram.

Também para a arte das novas mídias, os grafiteiros de luz de Colônia estão prestando uma grande contribuição, ao mostrar as possibilidades de intervenção no próprio espaço virtual. Pois se o espaço real é onde seu trabalho de arte de rua é concebido, é no espaço virtual da fotografia ou do vídeo que ele é executado.

Autor: Carlos Albuquerque

Revisão: Simone Lopes

Veja mais fotos de Lichtfaktor nas próximas páginas:

Leia mais