Futurando - Edição de 27/05/2020 | Programa de ciência, meio ambiente e tecnologia da DW Brasil | DW | 27.05.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Futurando!

Futurando - Edição de 27/05/2020

[Vídeo] Isolamento social: o que podemos aprender da experiência de cientistas na Antártida?

Assistir ao vídeo 25:19

Confira nesta edição do Futurando:

- Cientistas alemães estudam mudanças físicas e comportamentais resultantes de isolamento na estação Neumayer, no Polo Sul. Após nove meses de isolamento no escuro inverno polar, parte do cérebro diminui. O estudo será usado para auxiliar no treinamento de astronautas. Soluções encontradas na pesquisa também podem ser aplicadas durante o período de distanciamento social imposto pela pandemia de covid-19. 

- Medo, estresse e preocupação são termos que a Organização Mundial da Saúde relaciona à possibilidade de desenvolver sofrimento mental em razão das atuais circunstâncias. O programa exibe uma entrevista sobre o tema com o psicoterapeuta cognitivo-comportamental Santhiago Souza, doutor em psicologia pela UFMG. Ele dá dicas de como lidar com dificuldades e impactos psicológicos neste momento.

- Os vírus podem causar doenças fatais. Contaminar seres vivos é a forma que esses patógenos encontraram para garantir sua existência, já que não têm células ou organismo próprio e dependem de um hospedeiro. Mas, afinal, só existem vírus ruins?

- Em vez de antibióticos, infecções bacterianas podem ser combatidas por vírus fagos. Eles são frequentes na natureza e atacam apenas células bacterianas - por isso, não são perigosos para os seres humanos. Jovens pesquisadores alemães dedicam-se a estudar o tema e a desenvolver possíveis novos tratamentos.

- Da mesma forma que nem todos os vírus são prejudiciais, muitas bactérias também não. Algumas garantem a nossa saúde desde o nascimento. Pesquisadores destacam a importância das bactérias de secreções maternas adquiridas pelo bebê durante o parto normal. O Futurando também mostra que cientistas da Áustria comprovaram que camundongos alimentados com fast food apresentam sintomas de depressão, devido a alteração da colônia bacteriana intestinal. Será que isso também pode ocorrer com os humanos?