Futurando - Edição de 27/01/2021 | DW Brasil | Notícias e análises do Brasil e do mundo | DW | 27.01.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Futurando - Edição de 27/01/2021

O efeito das notícias negativas no cérebro

Assistir ao vídeo 26:33

- Parece que só há notícias negativas no mundo. Nas mídias, uma tragédia atrás da outra é anunciada e você fica com a sensação de que o mundo está de mal a pior. Talvez não seja bem assim e esse sentimento é culpa do seu cérebro. Veja como as notícias ruins mexem conosco e influenciam até o nosso cotidiano. 

-  Notícias falsas, as famosas fake news, já eram um problema desde que começaram a aparecer. Mas, segundo especialistas em comunicação, durante a pandemia de coronavírus, ainda mais desinformação se espalhou pelas redes sociais. E essas mentiras tiveram também consequências no mundo real. 

- Monitoramento por câmeras e a tecnologia de reconhecimento facial já estão em estágios avançados e conseguem reconhecer pessoas em segundos. Na China, esses sistemas já trabalham em conjunto. Na Alemanha, eles são usados em aeroportos, controles de fronteira e por autoridades de segurança. Para críticos, é preciso tomar cuidado com o uso dessas tecnologias. Isso porque elas têm vantagens, mas também desvantagens. 

- O modo escuro dos smartphones, também chamado de dark mode, deixa a tela mais escura e as letras claras. Já foi comprovado que ficar olhando para telas prejudica os olhos e a visão, mas será que o modo escuro ajuda? Perguntamos à especialistas sobre as vantagens do dark mode.

- Sono e smartphone pode não ser uma boa combinação. Isso porque a luz azul da tela do aparelho pode não nos deixar dormir direito. Mas há algumas formas de contornar o problema:

- O sonho está conectado com às nossas experiências, com o que vemos e sentimos, ou seja, é algo individual. No entanto, há relatos de pessoas que alegam ter tido o mesmo sonho. Será que isso é possível?