Futurando - Edição de 24/02/21 | DW Brasil | Notícias e análises do Brasil e do mundo | DW | 24.02.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Futurando - Edição de 24/02/21

Tecnologias a serviço da inclusão social

Assistir ao vídeo 25:27

Veja os destaques desta edição: 

- Como funciona a interface cérebro-máquina? Atualmente, já é possível controlar um computador através da mente, tecnologia que abre novas possibilidades para pessoas com paralisia, como o jovem Kriangkrai Tachadee. Mesmo sem poder mexer plenamente as mãos ou as pernas, ele participa de uma competição de corrida virtual. Já o fazendeiro Wolfgang Bauer voltou a realizar sozinho os trabalhos em sua propriedade graças a uma moderna prótese que aprende os movimentos característicos do portador. 

- Conta-gotas sonoro é desenvolvido em universidade brasileira. A ideia é ajudar deficientes visuais a dosar corretamente medicamentos líquidos. Cada gota que cai no protótipo gera um efeito sonoro. 

- Uma deficiência física não impediu que Walter Stuber fizesse coisas que muitos, inclusive a família dele, pensavam que talvez fossem impossíveis. Por exemplo, chegar a um cargo de liderança e ser dono de um negócio. Conheça no vídeo do Futurando a história de sucesso de um homem que não teve medo de arriscar. 

- Conheça a técnica que cegos usam para ‘ver’ o mundo. A ecolocalização, semelhante ao sonar do mundo animal, é a ferramenta usada por cegos para perceber com a audição o que está ao redor. Eles reproduzem um clique com a língua, bem forte e preciso, e assim definem se estão diante de um caminho livre ou uma parede. Mas a habilidade permite ir muito além.

- “Para mim não é apenas uma ferramenta, é a minha língua materna”, conta o intérprete de língua de sinais e artista performático Rafael Grombelka. Ele trabalha como tradutor de noticiários na televisão. Para diversos deficientes auditivos, esse é um suporte indispensável de integração à vida cotidiana. Quando criança, Rafael frequentou uma escola regular, contudo, entender a linguagem falada era difícil. Então, ele mudou para uma escola que ensinava linguagem de sinais e desistiu de aprender a falar. Muitos de seus amigos são surdos ou dominam a língua de sinais. Veja mais no vídeo do Futurando.

- Aparelho auditivo e implante coclear: qual a diferença? Jan Röhrig é um jovem de 24 anos que tem deficiência auditiva, mas isso não o impede de levar uma vida normal e ser bombeiro voluntário na Alemanha. Ele usa um aparelho auditivo em um ouvido e um implante coclear no outro. O aparelho auditivo torna possível ouvir músicas de forma agradável. Já o implante coclear é mais especializado para a linguagem falada. Neste vídeo do Futurando, Jan explica a diferença entre os dois dispositivos.