Futurando - Edição de 17/03/21 | DW Brasil | Notícias e análises do Brasil e do mundo | DW | 17.03.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Futurando - Edição de 17/03/21

“Marte” em pleno semiárido brasileiro?

Assistir ao vídeo 25:47

- As descobertas europeias em Marte: a Mars Express, primeira sonda europeia que pesquisa no planeta vermelho, já fez descobertas significativas sobre Marte. Ela foi a primeira a mapear toda a superfície do planeta em 3D e com imagens coloridas. Em 2016, a Europa enviou sua segunda sonda, a Trace Gas Orbiter, que procura por metano e outros gases. Veja as descobertas europeias feitas em solo marciano. 

- "Marte" no sertão do Brasil: uma estação de pesquisa em pleno sertão brasileiro tem servido para testar formas autossustentáveis de produção de comida e uso da água em circunstâncias adversas. O projeto Habitat Marte desenvolve desde 2017, quando teve início, protocolos que podem nos ajudar a entender melhor as possibilidades reais de sobrevivência no planeta vermelho. Criada pelo professor do Departamento de Engenharia da Produção da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Júlio Rezende, a iniciativa atualmente trabalha com missões virtuais. 

- Por que é essencial pesquisar a Antártida: a Antártida, no extremo sul do planeta, guarda heranças preciosas da história da Terra e abriga espécies que correm risco de serem extintas, caso o aquecimento global siga afetando de forma significativa a região. Como encontrar alternativas para medir os impactos e prever soluções? Há anos, a resposta tem sido unânime: pesquisa. Estudar o continente é de fundamental importância, como explica o vídeo do Futurando.
- Por que é tão importante entender o impacto de espécies marinhas invasoras? O mar do Norte e o mar Báltico formam ecossistemas que ao longo dos anos vêm se adaptando à presença de seres marinhos não autóctones. Ou seja, invasores. Entre eles estão as carambolas-do-mar, águas-vivas com capacidade de bioluminescência. Apesar de produzirem um espetáculo brilhante bonito de se ver à noite, esses animais desequilibram a cadeia alimentar. 

- Projeto aposta na agricultura com foco na proteção do meio ambiente: em algumas regiões da Alemanha onde as terras são mais úmidas é complicado associar a criação de animais à produtividade agrícola. Mais ainda, manter os dois, controlando a emissão de gases de efeito estufa. Um projeto tem justamente o objetivo de garantir renda para quem vive da terra, sem prejudicar o meio ambiente.