Fotógrafo brasileiro revela o outro lado da noite em Berlim | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 02.08.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Fotógrafo brasileiro revela o outro lado da noite em Berlim

O fotógrafo brasileiro Tuca Vieira passou três meses fotografando a noite de Berlim. Depois de passar por Nova York, a exposição de fotos que contrastam cores com a arquitetura da cidade vazia está em São Paulo.

default

A exposição Berlinscapes está em cartaz em São Paulo

Para o fotógrafo brasileiro Tuca Vieira, Berlim é uma espécie de encruzilhada. Nesse encontro entre o olhar brasileiro e a noite na capital alemã nasceu a exposição Berlinscapes, que chega a São Paulo depois de uma bem-sucedida temporada em Nova York.

As fotos mostram a cidade em seu estado mais bruto e misterioso, misturando objetividade e surpresa, cores e frieza. Um desenvolvimento natural do trabalho que o fotógrafo fazia em São Paulo, onde Vieira trabalhou por diversos anos como fotojornalista.

"Fotografar São Paulo, para mim, é uma questão de sobrevivência. Mesmo com toda a dificuldade, os problemas, o trânsito e a violência, encontrei na fotografia uma forma de conviver com isso. Tento extrair beleza do caos", declarou.

Ausstellung „Berlinscapes“

Bairro Prenzlauer Berg em Berlim

O interesse de Tuca pela fotografia começou de forma não usual. Ele conta que estudou Letras para se tornar um bom fotógrafo, pois para ele a formação em ciências humanas é primordial para o ofício. "Na literatura, encontro muita inspiração. Livros são cheios de imagens."

Sua fascinação por Berlim começou nos livros de história. "Num passeio pela cidade, é possível fazer uma leitura bastante completa do que foi o século 20." Uma experiência que ele quis transformar em fotografia. "Queria não só mostrar a cidade, mas sua atmosfera, um sentimento pessoal diante do assombro que a cidade me causava", completou Tuca.

Tropicalização alemã

O interesse de Tuca Vieira pela cidade nasceu quando ele viajou pela Europa pela primeira vez em 1991. "Foi muito marcante ver que Berlim ainda exibia as cicatrizes da divisão. Sempre quis voltar, pois sentia que a cidade merecia uma experiência que ia além de uma visita superficial." O imaginário da cidade também encantou o fotógrafo através de filmes como Asas do Desejo, de Wim Wenders, e o clássico Berlim, Sinfonia de uma Metrópole, de Walter Ruttmann.

Flash-Galerie Ausstellung „Berlinscapes“

As fotos foram tiradas à noite durante o inverno

A temporada na cidade foi exclusivamente para capturar imagens. Tuca Vieira já conhecia a capital alemã e tinha uma ideia bastante clara do que queria. Toda a elaboração e pesquisa se deu antes da viagem. Tuca seguiu à risca o conselho dado pelo amigo e artista plástico Alex Flemming, que mora na cidade: "Quando chegar em Berlim, fotografe imediatamente para não perder o frescor da primeira surpresa", aconselhou o artista.

Esse "frescor" que podemos ver nas fotos da exposição Berlinscapes revela a inspiração da Escola de Düsseldorf, com sua objetividade e apreço pela arquitetura. Mas o fotógrafo desenvolveu um estilo próprio, ao trabalhar e contrastar a rigidez da arquitetura e a frieza da cidade vazia com cores e uma iluminação quase sensual, o que foi descrito pela mídia americana como "tropicalização da fotografia tipicamente alemã".

Tranquilidade artística

A tranquilidade de Berlim surpreendeu o fotógrafo brasileiro, que não esperava que a capital alemã fosse tão calma. "Fiquei a maior parte do tempo em Prenzlauer Berg, um bairro cheio de crianças e jovens casais que cultivam com sabedoria a vida pública", declarou Tuca, que também vê a cidade como um grande laboratório para as artes. "Muitos artistas do mundo todo se mudam para Berlim devido aos baixos preços e pela tolerância racial. É sem dúvida um dos lugares mais vibrantes da Europa."

Ausstellung „Berlinscapes“

Objetividade alemã, calor brasileiro

A exposição Berlinscapes chega a São Paulo depois de estrear em Nova York. "Meu trabalho não é o que se espera de um artista brasileiro. A exposição sobre Berlim, noturna e vazia, causou um interessante estranhamento", disse Tuca. O fotógrafo também tem vontade de exibir em Berlim. "Seria uma forma de retribuir a temporada tão importante que passei por lá." Outro desejo do fotógrafo é transformar a exposição em livro.

A exposição Berlinscapes está em cartaz na Fauna Galeria em São Paulo até o dia 30 de agosto.

Autor: Marco Sanchez
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais