Forças rebeldes capturam ex-chefe da polícia secreta líbia | Notícias internacionais e análises | DW | 20.11.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Forças rebeldes capturam ex-chefe da polícia secreta líbia

Depois da prisão de Saif al-Islam, filho de Muammar Kadafi, forças rebeldes anunciam a captura do ex-chefe da inteligência na Líbia, Abdullah al-Senussi. Os dois eram os últimos remanescentes do regime ainda em fuga.

default

Abdullah al-Senussi era o último foragido do regime

O ex-chefe da polícia secreta da Líbia, Abdullah al-Senussi, último membro do regime do líder deposto Muammar Kadafi, foi capturado neste domingo (20/11) por combatentes leais ao novo governo interino. A informação foi divulgada por autoridades do Conselho Nacional de Transição (CNT).

"Abullah al-Senussi foi preso na região de Al-Guira, no sul do país", disse o oficial do CNT que não quis revelar sua identidade. Assim como Saif al-Islam, o ex-chefe da inteligênca líbia era procurado pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) por crimes contra a humanidade.

A notícia de sua captura chega um dia depois de os novos governantes da Líbia terem anunciado a prisão de Saif al-Islam, que estava desaparecido havia um mês. O filho de Kadafi foi preso na noite de sexta-feira no sul da Líbia. A informação foi confirmada oficialmente neste sábado pelo primeiro-ministro do Conselho Nacional de Transição (CNT), Abdel Rahim al-Kib.

Captura de Saif al-islam

Mantido sob custódia pelas forças rebeldes, Al-Islam deve ser levado à Justiça. Só não se sabe se ele será julgado pela corte líbia ou se responderá às acusações diante do Tribunal Penal Internacional, em Haia, Holanda.

De acordo com o ministro da Justiça líbio, Mohammed al-Alagy, Saif al-Islam foi detido por forças revolucionárias da cidade de Zintan, depois de ter sido rastreado durante dias. Ele estava em fuga desde o dia 20 de outubro, quando seu pai foi capturado e morto em sua cidade natal, Sirte. A notícia da prisão do filho de Kadafi foi festejada na capital Trípoli.

Ocampo viaja à Líbia para discutir local do julgamento

Ocampo viaja à Líbia para discutir local do julgamento

A captura de Al-Islam foi rapidamente verificada pelo Tribunal Penal Internacional (TPI). Seu procurador-chefe, Luis Moreno Ocampo, viajará à Líbia na próxima semana para deliberar junto com o governo interino do país sobre onde o filho de Kadafi deve ser julgado. "A boa notícia é que Saif al-Islam está preso, vivo e agora vai enfrentar a Justiça. Onde e como, é o que vamos discutir", disse Ocampo.

Grupos internacionais de direitos humanos pediram que Saif al-Islam seja transferido para Haia, para que sua segurança esteja garantida. As circunstâncias obscuras que rodearam a morte de Muammar Kadafi e seu filho Mutassim, e a decisão de expor seus corpos publicamente, levaram a duras críticas por parte dos defensores dos direitos humanos.

O ministro da Informação do CNT, Mahmoud Shammam, entretanto, insiste que Saif al-Islam deve ser julgado em seu país. "Este é o capítulo final do drama da Líbia. Ele é um criminoso e deve ser julgado pelo povo líbio e segundo a lei líbia."

Pena capital

De acordo com o ministro da Justiça, Saif al-Islam será julgado por crimes graves. "Ele instigou outros a matar, fez mau uso do dinheiro público, fez ameaças, instigou e até mesmo recrutou pessoalmente mercenários. Essa é apenas uma pequena conta das acusações que o procurador líbio deve trazer contra ele", disse Al-Alagy. Indagado por jornalistas se tais crimes poderiam levar à pena de morte, o ministro respondeu: "Sim. Ela foi criada por Kadafi".

O Tribunal Penal Internacional em Haia indiciou Saif al-Islam por crimes contra a humanidade relacionados a alegações de que ele teria ordenado a morte de manifestantes no início da rebelião na Líbia, em meados de fevereiro. Mas os líbios querem julgá-lo também por crimes que teriam sido cometidos nos anos anteriores.

"Ssabemos que Saif al-Islam é procurado pelo Tribunal Penal Internacional por crimes contra a humanidade, e não acho que o procurador-geral da Líbia vá indiciá-lo por nada menos do que isso", disse Al-Alagy. A diferença é que o TPI não tem pena capital.

O ministro da Justiça garantiu que o processo será justo. "Convidamos organizações locais e internacionais a acompanharem o julgamento de Saif al-Islam. Vamos julgá-lo de acordo com padrões internacionais."

Saif al-Islam estaria sob custória das forças revolucionárias em Zintan

Saif al-Islam estaria sob custória das forças revolucionárias em Zintan

"Estou bem"

Nas primeiras fotos de sua captura divulgadas na imprensa, Saif al-Islam exibia ataduras na mão direita. Ele afirmou à agência Reuters que estava bem e que os ferimentos foram sofridos durante ataques aéreos da Otan, há um mês. No entanto recusou-se a confirmar sua identidade. Jornalistas líbios da Reuters disseram não haver dúvidas de que se trata do filho de Kadafi.

Ajudantes de Al-Islam disseram que sua caravana fora atingida por ataques aéreos da Otan quando ele tentava fugir do reduto governista de Bani Walid, no dia 19 de outubro – um dia antes da captura e morte de seu pai em Sirte.

Saif al-Islam Kadafi, de 39 anos, o mais velho de sete filhos de Muammar e Safiya Kadafi, dizia-se apoiador do Ocidente e se considerava um reformista liberal dentro do regime autocrático. Com título de doutor pelaLondon School of Economics, ele não ocupava nenhum cargo oficial no regime, mas era considerado sucessor natural de seu pai.

Sua reputação a favor do Ocidente desmoronou quando, ao contrário dos irmãos, ele ficou ao lado de seu pai até o fim, e apoiou a repressão violenta contra manifestantes no início da rebelião líbia, em meados de fevereiro.

FF/rtr/ap/afp
Revisão: Augusto Valente

Leia mais